"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

17 de mai de 2010

Maracanaço

Série Lances marcantes das Copas


Infelizmente nem só de alegrias é feita a nossa história nos mundiais.
Em 1930 foi realizada a primeira Copa do Mundo no Uruguai, dois anos depois do francês Jules Rimet ter assumido o comando da entidade máxima do futebol(FIFA).
Naquela ocasião os donos da casa sagraram-se campeões e puderam ficar por quatro anos com a taça Jules Rimet.
20 anos depois os uruguaios chegariam a mais uma final e fariam história em um dos dias que muitos consideram o mais triste da história do futebol brasileiro.


No dia 16 de julho de 1950 com aproximadamente 200 mil pessoas no Maracanã(recorde de público em uma partida de futebol mantido até hoje) faltando 11 min para o fim da partida Ghiggia marcou o gol que deu o título da Copa de 50 para seleção uruguaia.


"O silêncio era tão grande que se uma mosca estivesse voando por lá, ouviríamos seu zumbido."

Ghiggia
 

Um comentário:

Camila Paulos disse...

Adoro história do futebol e essa Copa de 50 foi uma das mais fascinantes, apesar de triste, pra mim. Meu personagem preferido é o Barbosa, coitado que levou a culpa mas não teve culpa de nada na amarga derrota pro Uuruguai...
Se você também gosta de história, recomendo ler um texto do Nelson Rodrigues que fala do complexo de vira latas que se instalou no povo brasileiro após essa derrota e que só passou com a conquista de 58...
Ótima escolha de tema, parabéns.