"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

21 de jun de 2010

Quando o talento supera a violência


Jogo intenso, ânimos exaltados, ótima vitória e vaga garantida. Assim foi o sexto duelo brasileiro contra africanos em Copas do Mundo.
Muitos sentimentos afloraram neste blogueiro durante a partida mas alguns deles permanecem até agora.
DECEPÇÃO - Uma imensa decepção com a seleção marfinesa, tanto na bola jogada como na atitude em campo, esqueceu o futebol em casa e entrou apenas para praticar o antijogo e a violência.
REVOLTA - Revolta com a expulsão GRATUITA de Kaká no fim do jogo, nosso camisa 10 não fez absolutamente nada no lance que originou o segundo cartão amarelo, levou uma trombada de um marfinense desgovernado e apenas firmou o corpo para se proteger com o cotovelo rente ao corpo.
Faltou um pouco de malandragem ao Kaká para fugir das provocações e bom senso por parte do técnico Dunga que deveria ter tirado o meia antes já que o jogo estava ganho.




INDIGNAÇÃO - Indignação com a péssima arbitragem que inverteu inúmeras faltas e deixou a seleção africana bater a vontade.
A seleção da Costa do Marfim entrou cheia de si, crente que faria história e venceria a seleção pentacampeã e quando viu que não era bem assim perderam a cabeça e começaram a bater maldosamente.

O primeiro tempo foi bem aquém do esperado, a Costa do Marfim marcava bem a saída de bola brasileira, Felipe Melo e Gilberto Silva são muito previsíveis e Kaká e Robinho tinham que voltar demais para buscar jogo. De bom mesmo na etapa inicial só o gol brasileiro em jogada do trio de frente Kaká, Robinho e Luis Fabiano.
Na segunda etapa o jogo esquentou, logo aos 4 minutos Fabuloso fez uma pintura de gol, o braço na bola foi apenas um detalhe, seria um pecado anular aquele gol(huehue) e o juiz parece ter pensado igual quando conversou com Luis Fabiano logo após o gol sorrindo.
O Brasil jogava bem, toque de bola envolvente, Kaká se movimentando como nos velhos tempos com suas arrancadas do meio para os lados do campo e em uma dessas arrancadas saiu o terceiro gol. Kaká disparou do meio para o lado esquerdo do ataque, recebeu e foi a linha de fundo no melhor estilo Kaká, cruzou e Elano se antecipou a marcação muito bem para fazer o terceiro gol brasileiro.
Depois disso começou a pancadaria por parte do marfinenses, diversas soladas e entradas violentas sem nenhuma punição mais rígida por parte da arbitragem.
Drogba ainda descontou para o time africano em bobeada da zaga brasileira mas de nada adiantou.
Não chegou a ser um espetáculo mas agora o Brasil preocupou e muito os adversários, mostrou muita movimentação e qualidade no toque de bola e na marcação não dando espaços para os principais jogadores da Costa do Marfim criarem
Em uma noite em que os valores individuais finalmente voltaram a aparecer o Brasil mostrou que o talento combina mais com a vontade de vencer do que a violência.

Um comentário:

Guilherme Cunha disse...

O Brasil fez um jogo bastante razoavel. Esse juiz tolerou muito, o que fez com que os costa marfilhenses apelassem á violência e ao jogo sujo.
Mas é isso aii, mais um passo rumo ao Hexa!! =D