"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

6 de jul de 2010

Hora de voltar a ser Brasil


A CBF anúciou a demissão de toda a comissão técnica brasileira, sábia decisão.
Está na hora de a seleção brasileira voltar a ter cara de seleção brasileira.
Foram quatro anos jogando o famoso futebol de resultado, fugindo completamente da essência do futebol brasileiro, o verdadeiro futebol arte.
Um tipo de futebol que nada deixa além de resultados, perdemos para a Holanda e o que ficou em nossa memória ? nada, absolutamente nada além da dor de mais uma eliminação. Agora pergunte para quem acompanhou a seleção de 82 por exemplo se há alguma boa lembrança ou apenas a dor da derrota.
Dunga montou uma seleção completamente sem cara de Brasil, recheou nossa seleção com volantes de cintura dura, sem ginga, sem a "malícia" e a malandragem do futebol brasileiro.
Durante quatro anos nos gabamos de ter a melhor DEFESA do mundo e não de ter o melhor camisa 10 ou maior goleador. Um país que já teve Pelé, Garrincha, Zico, Ronaldo e tantos outros.
Dunga deixou de levar o talento e o encanto do futebol de garotos, garotos que só o futebol brasileiro tem a capacidade de revelar e fez com que a seleção mais vitoriosa do mundo perdesse um pouco mais do encanto para os torcedores. Não se torce mais pelo Brasil como antigamente e eu sinto uma profunda tristeza por não ter vivido a época em que o país realmente amava a seleção canarinho.

Olhem as formações das seleções semi-finalistas, a Alemanha tem 4 meias de ofício no time titular, a Holanda conta com Sneijder no meio municiando três atacantes, a Espanha joga com os habilidosos Xavi e Iniesta e tem ainda Fábregas no banco.
Três seleções que jogam como o Brasil deveria jogar, pra frente, com toque de bola envolvente, com jogadas individuais e dribles desconcertantes, afinal, ganha-se e perde-se no futebol jogando das duas maneiras, somos exemplos disso, encantamos o mundo em 82 e não vencemos, jogamos de forma burocrática em 1994 e fomos campeões. 

Não venceremos sempre por jogar o futebol arte, de uma forma que encante a todos, mas teremos muito mais orgulho e não nos restará apenas a dor quando a vitória não vier.


Já passou da hora de voltar a justificar a frase que estampa a camisa amarela.

Nenhum comentário: