"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

9 de ago de 2010

Não muda nunca


Não sei por que ainda me espanto com esse tipo de notícia.
A dança dos técnicos continua, Silas e Estevam Soares são as vítimas da vez.
Essa é a cultura do futebol brasileiro, alguém tem que pagar a conta e como é mais fácil mandar um técnico embora do que 11 jogadores (que não fazem nada)...
Confesso que não acompanhei o trabalho de Estevam Soares no Ceará, mas foram 6 jogos apenas no comando do time. Empatou 4 e perdeu 2. E já custou seu emprego. O treinador nem teve tempo de implantar seu conceito e sua filosofia de futebol.
Silas foi campeão gaúcho, levou o Grêmio até as semi-finais da Copa do Brasil onde foi eliminado por ninguém menos que o mágico Santos versão 2010 mas por causa do mal momento vivido no Brasileirão também entrou no seguro desemprego.

Como diria meu véiu "é baguá, futebol é resultado"
Definitivamente, tem toda razão.

2 comentários:

Camila Paulos disse...

Achei injusta a demissão do Estavam! O cara nem teve muito tempo para trabalhar e, além disso, com um elenco limitado como o do Ceará, que tem uma ataque super ineficaz, é difícil mesmo ganhar... Gosto muito do Estevam, espero que vá pra um clube que lhe dê valor, pois na Lusa ele também foi demitido injustamente.

Gabriel Campi disse...

Não adianta, Luciano. A cultura do futebol brasileiro não vai mudar. Isso é lamentável, porque todos nós sabemos que isso não é o correto, porque, como você falou, é mais fácil mandar um embora do que onze, mesmo que estes onze não representem nada.

Abraços!

www.blogfutebolnaveia.blogspot.com