"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

17 de dez de 2010

Patrocínio: um "mal" necessário [?]

A dinâmica do futebol fica mais evidente a cada temporada, e todos sem exceção, precisam se renovar e se modernizar para acompanhar as mudanças exigidas pelo processo de evolução natural do esporte. E infelizmente tais renovações podem custar antigas tradições das quais nos orgulhamos.

Este "mal", que vem para o bem, a renovação, acaba de atingir um dos clubes mais tradicionais e vitoriosos do planeta, o Barcelona.

O clube catalão confirmou um contrato de patrocínio de 30 milhões de euros por temporada, o maior da história do futebol, com a empresa Qatar Foundation válido por 5 temporadas.

 
Ao contrário do que todos imaginavam e do que se tinha notícia, a situação financeira do clube não é das mais confortáveis, tendo inclusive feito um empréstimo no início do ano para pagamentos imediatos, como salário dos atletas.

O acordo de patrocínio acaba com uma tradição de 112 anos do clube de jogar com seu manto "limpo". E também com a imagem de um clube capaz de sobreviver da receita gerada por sua apaixonada torcida.

Camisa do Barça livre de "poluição visual"

É bem verdade que a evolução constante do futebol é um fator decisivo para o fim da possibilidade de viver dos seus torcedores, mas alguns fatores recentes podem ajudar a explicar os motivos que levaram o Barcelona a entrar na "vala comum". Entre eles estão a crise na economia europeia, que diminui o poder de compra dos torcedores e consequentemente a arrecadação do clube, a recente regra imposta pela UEFA do "fair-play financeiro", exigindo que os clubes gastem com contratações dentro das possibilidades da sua receita, e a pressão dos menores clubes da Espanha pela venda coletiva dos direitos de transmissão, na tentativa de diminuir a profunda diferença financeira em relação a dupla Real Madrid e Barcelona.

Johan Cruyff - A tradução de "Futebol Total"

Johan Cruyff, um dos maiores ídolos do clube catalão, criticou duramente o acordo de patrocínio, alegando que há outras medidas a serem tomadas para resolver a situação financeira e que "manchar" a camisa blaugrana deveria ser a última opção.
Concordo com o holandês. Quando citamos a relação clube-torcida, estamos falando de paixão, e a paixão não tem preço. O Barcelona já conta com o melhor time do mundo, não necessita de contratações, passa por uma fase absolutamente perfeita e vitoriosa dentro de campo. Pesadas ações de marketing explorando a própria imagem poderia aumentar consideravelmente a receita do clube sem ter a necessidade de "vender" sua camisa.
O departamento de marketing dos clubes hoje em dia possue um papel vital para a saúde financeira dos clubes, maximizando o potencial da marca do clube junto aos torcedores e transformando esse potencial em receita. Recentemente um estudo no Brasil mostrou exatamente isso ao apontar a valor das marcas dos chamados grandes clubes do Brasil.

Ao ceder a tentação dos petrodólares da empresa árabe, o Barcelona passa a ser apenas mais um grande clube do futebol mundial.

6 comentários:

William disse...

O Fluminense, meu time, não sobreviveria sem a Unimed. A parceria já está há 11 anos. O novo presidente terá muito trabalho para organizar a parte administrativa do clube.
Patrocínios são importantes.

Gabriel Campi disse...

Com certeza um mal necessário, Luciano. O Barça não resistiu e cedeu a tentação, como você disse. Em relação aos clubes brasileiros, que estão mais quebrados do que nunca, se não existissem os patrocínios os clubes dificilmente conseguiriam se manter.

Abraços!

www.blogfutebolnaveia.blogspot.com

Jhennifer Fraga disse...

O William falou tudo.O Fluminense é totalmente dependente da Unimed.
Concordo no fato do patrocinador pagar os salários dos jogadores,mas dá opinião sobre a administração do clube,aí já é demais.

abraços!

fluminensetricolorguerreiro.blogspot.com

Giovani Mattiollo disse...

As camisas de times brasileiros as vezes parecem de Stock Car, de tanto patrocínio. O Barça está de parabéns, pois ninguém resiste a um patrocínio milionário né.

Abraço

Te espero lá...
http://gremista-sangueazul.blogspot.com/

Rodrigo Carvalho disse...

Os melhores do Brasileirão 2010(seleção dos Blogueiros)>

http://digaofutebol.blogspot.com/2010/12/blogueiros-respondem-selecao-dos.html



Os melhores do Brasileirão 2010- Seleção do Digão Futebol>

http://digaofutebol.blogspot.com/2010/12/selecao-do-brasileirao-2010-blog-digao.html




Os melhores do Brasileirão,Libertadores,sulamericana e Copa do Brasil e o melhor jogador de 2010,por Blog Digão Futebol >

http://digaofutebol.blogspot.com/2010/12/os-melhores-jogadores-brasileiraocopa.html




Rodrigo Carvalho - BLOG DIGÃO FUTEBOL

Claudio Henrique disse...

E aí Luciano blz cara?

O patrocínio é bom porquê ajuda os clubes financeiramente, mas é ruim pelo fato de poluir a camisa. Bons tempos em que os times não eram "poluídos" pelas marcas de produtos ou coisas do tipo.

Abraços!