"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

31 de jan de 2011

O preço do passado

 
7/12/2008 o dia em que um dos maiores clubes do país, um dos poucos que havia participado de todas as edições do Campeonato Brasileiro na Série A, foi rebaixado. O Clube de Regatas Vasco da Gama.
Parecia o fim do poço, afinal, o que pode ser pior para um time grande do que ser rebaixado ? Mas nesse caso, parece que era apenas a primeira parcela da conta que o Vasco teria que pagar por seu maculado passado.

O gigante parecia abatido, mas se levantou. Resurgiu das cinzas nos braços da sua apaixonada torcida, sob nova direção. Parecia o inicio de uma nova era, parecia...

O Vasco é um time grande, que pensou pequeno. Se contentou em apenas retornar à elite do futebol e a partir daí virar coadjuvante no cenário nacional. O Gigante da Colina se apequenou. Se perdeu em meio a guerras internas, a falta de visão e a politicagem sem escrúpulos que aos poucos degradou todas as áreas do clube. Infelizmente parece que o mau-caratismo no poder nesse país não se restringe à Brasília, e enquanto os interesses de meia dúzia de mercenários continuarem à frente dos interesses do clube, essa é a cena que presenciaremos...


Porque no fim das contas, quem vai arcar com a vergonha e o "prejuízo" é quem menos merece, e quem menos pode fazer.

País do futebol ? Doce ilusão.

30 de jan de 2011

Curtinhas

Remetendo às origens


Comandante com mais identificação impossível. Embora ainda não tenha nada confirmado, é muito interessante a opção vascaína pelo português Carlos Queiroz para o comando técnico do time. Treinador experiente, com passagens por Real Madrid e pela seleção portuguesa(comandou o time luso na Copa da África em 2010). Ainda que tenha poucos títulos no currículo, tem muita bagagem internacional e pode trazer consigo bons reforços para o Gigante da Colina.
E além da melhora dentro de campo com o bom trabalho do português, a contratação sacia um pouco do desejo da torcida por uma grande contratação, em resposta aos principais rivais.

Queiroz chega, Felipe e Carlos Alberto "vão". Bola dentro de Dinamite, já não era sem tempo.

Será que agora vai ?


Boas apresentações, gols e a titularidade em um dos ataques mais concorridos do mundo atualmente. Robinho vive sem dúvida sua melhor fase na Europa. Não acredito que se torne o fora de série que todos apostavam no início de sua carreira, mas ainda há tempo para que Robinho finalmente "aconteça" em um grande clube europeu, mas, como diz o povão; é agora ou nunca, ou vai ou racha. A camisa 70 do Milan será sua última oportunidade.

Já foi


Enquanto alguns lutam para "ir", outros já "foram" há tempos.
Lampard ? O cara do meio de campo do Chelsea hoje atende pelo nome de Ramires.

Depois da bela passagem pelo futebol português, quando defendeu o Benfica e foi um dos grandes responsáveis pelo título dos Encarnados na Liga Sagres 2010, Ramires está sobrando na terra da rainha.
Só espero que não se torne mais um da recente safra de excelentes volantes do futebol brasileiro a ser "empurrado" para a meia-cancha.

Enfim o 10[?]


"Quero jogar como um meia que arma o time" - Rivaldo
"Seja feita a tua vontade, pelo amor de Deus !" - Torcida são paulina

E a saga "camisas horríveis do futebol brasileiro" continua. A camisa do São Paulo para a estreia de Rivaldo chega a ser um desrespeito com emblema do time. Lamentável.

Só dá gringo

Os melhores meias do futebol brasileiro são argentinos, e o melhor centroavante é uruguaio...

Loco Abreu
Solo y Punto

26 de jan de 2011

"Procura-se meias de criação" ...

...ou "Pelo amor de Deus, voltem logo Ganso e Kaka", poderiam ser os "títulos" dessa convocação feita por Mano Menezes.

Nenhum jogador que atua no futebol brasileiro foi chamado sob alegação de que estão fisicamente muito abaixo dos jogadores europeus. Embora não concorde, compreendo.

Entretanto, o constante rodízio feito por Mano no setor de criação da seleção é algo que começa a incomodar, jogador nenhum conseguirá se firmar e mostrar seu futebol se não tiver uma sequência.
Diante de uma histórica algoz, que já não vive a crise que presenciamos na Copa do Mundo e que conta com jogadores que estão jogando uma "barbaridade" em seus clubes, como o garoto Nasri(Arsenal), nosso setor de criação estará a cargo de Renato Augusto, Jadson, e três volantes que foram empurrados para a meia-cancha. Hernanes, que por diversas vezes já mostrou não ser armador, Elias, que rende muito mais chegando de trás como elemento surpresa, e Anderson, que é muita grife para pouco futebol.

Muito pouco para uma seleção brasileira.

Grande ídolo do PSG atualmente, Nenê mal consegue sair nas ruas de Paris sem ser abordado por centenas de fãs

Entendo que as opções são poucas, há problemas de contusão, enfim, mas são seis volantes de origem na lista. Mano "Dungou". Nenê(foto), que está jogando o fino da bola no PSG, deveria estar na lista no lugar de um deles. Assim como Carlos Eduardo(Rubin Kazan), que já foi chamado por Mano, e Philippe Coutinho(Inter de Milão - *Confesso que não sei qual sua situação em relação a lesão que o cortou da seleção sub-20).

E como não poderia deixar de ser, o treinador da seleção sempre tem aquela mania de ter um homem de confiança que não agrada, ao menos esse blogueiro. André Santos e Luisão ? Até a mulecada da sub-20 joga mais(Alex Sandro e Juan).

Por outro lado gostei do retorno do melhor goleiro do mundo, Julio Cesar, e da novidade "verde" no ataque, Hulk. Belíssimo jogador. Finaliza muito bem, extremamente rápido, apesar do seu porte físico, cai pelos flancos com muita eficiência, volta para armar jogadas, enfim, excelente atacante.

Será o primeiro encontro de Brasil e França desde as quartas-de-final da Copa do Mundo da Alemanha em 2006. A boa notícia ? Bom, para nossa sorte, Zidane já não veste mais a camisa 10 dos Bleus.

24 de jan de 2011

Uma aposta na história

Aposta. Pura e simplesmente uma aposta. É isso que representa a contratação de Rivaldo pelo São Paulo. Uma aposta de risco, baseada em histórias de sucesso e fracasso.

Leônidas da Silva - O inventor da bicicleta

Apostar em jogadores veteranos é estratégia recorrente na história do São Paulo. Leônidas da Silva, o Diamante Negro, é o maior exemplo disso. Chegou desacreditado e considerado por muitos já velho em 1942, e conduziu o São Paulo à nada menos que cinco títulos estaduais.

Por favor não me entendam mal, não tenho intenção nenhuma de comparar Rivaldo a Leônidas da Silva, foi apenas um exemplo de quando a mesma estratégia foi adotada e obteve sucesso. Assim como também já fracassou, quando o São Paulo trouxe ninguém menos que Didi, o Mr.Football, já em fim de carreira, sem sucesso.

O Príncipe Etíope - Apelido dado por Nelson Rodrígues à Didi, o gênio da "folha seca"

Mas a grande questão, que diferencia a aposta em Rivaldo das demais, é que ainda que ele volte bem, está longe de resolver a carência de longa data da camisa 10 são paulina. O futebol de hoje exige muito mais do prepara físico do atleta, e ainda que Rivaldo seja um exemplo de atleta que se cuide, e não estou afirmando que é, a idade chega para todos. Rivaldo pode sim ser muito útil, fazer a diferença, decidir partidas, mas diria que é humanamente impossível que do alto dos seus 38 anos Rivaldo possa assumir a camisa 10 e conduzir um time como o São Paulo durante toda uma temporada. Eventualmente ficará fora por problemas físicos, e assim como o Corinthians fica orfão quando Ronaldo não joga, também o São Paulo ficará sem um substituto na ausência de Rivaldo.


Rivaldo - Melhor jogador do mundo de 1999

A relação custo benefício me parece muito mais vantajosa ao jogador, que ganha a chance de encerrar sua carreira em um grande time, e ao clube que o mesmo preside, o Mogi Mirim, que, no fim das contas, lucrou uma parceria com a equipe do Morumbi.

Essa aposta me soa também como uma tentativa desesperada do clube, que outrora era considerado pioneiro em todos os aspectos da sua gestão, em tentar se igualar a grande rivais com contratações de prestígio e reconhecimento internacional. Um tentativa de resgatar o status de "clube diferenciado", na mesma semana que em que mostrou ter um déspota no poder.

De certo mesmo nessa contratação, é que ela não satisfará o desejo da torcida são paulina, e nem as necessidades do time dentro de campo.

21 de jan de 2011

A outra face do time de Ney Franco


Duas caras. Definição que está longe de ser uma virtude, é aliada a falsidade e mau-caratismo, ou ao menos era, até a seleção de Ney Franco nos ensinar uma nova definição na partida diante da Colômbia.

A habilidade individual da seleção brasileira é inegável, não apenas com Neymar, há vários jogadores que em uma jogada podem decidir a partida. Exatamente como aconteceu na estreia. E foi o que fez o Brasil no primeiro tempo. Esperou que o talento individual resolvesse novamente. Mas diante de uma defesa muito bem postada em campo o talento brasileiro sumiu. Neymar e Lucas eram marcados de perto, Casemiro não se apresentava a frente e sem movimentação, salvo algumas subidas dos laterais, a seleção não encontrava os espaços.

Veio o segundo tempo e com ele a outra face da seleção, o jogo coletivo.
Bastou uma boa movimentação para a defesa colombiana cair por terra. Inversões de posição, principalmente entre Neymar e Diego Maurício, aproximação dos volantes, subida dos laterais e um toque de bola rápido e preciso.

Se um talento não está conseguindo resolver, a solução é simples, some todos eles.

Porém, como na maioria dos casos, o calcanhar de aquiles da talentosa seleção de Ney Franco chama-se temperamento. A intranquilidade em momentos cruciais da partida é um problema sério, que deve ser trabalhado antes que acabe custando caro.


E se um dia você tiver um grande talento em mãos, lembre-se, ele só precisa de UMA oportunidade para decidir.



Observação Tática

Por causa dos desfalques, Ney Franco modificou a formação da equipe. Passou de um 4-4-2(4-2-2-2) para o 4-3-3:


Apesar da boa apresentação, principalmente no segundo tempo, EU escalaria a seleção no 4-2-3-1 com os homens de meio campo, ponto forte dessa seleção, chegando de trás:


Fernando entrou bem e merece continuar, seria também uma forma de encaixar a bola redondinha de Alan Patrick nesse time. Confesso que não conheço o goleiro Aleksander(Avaí), mas como Gabriel não me agradou e ele é o único substituto...

Esquemas e escalações à parte, recursos não faltam para que Neymar e cia voltem do Peru com a sonhada vaga olímpica.

20 de jan de 2011

Curtinhas

São HUMANOS !


Messi perdeu um pênalti ! Barcelona perdeu um jogo ! Ufa, começava a achar que eram máquinas.
Mas até quando, finalmente, perde, o Barcelona ganha. Derrota de 3x1 para o Bétis no segundo jogo das quartas-de-final da Copa do Rei...

..depois de vencer a primeira partida por 5x0.

Esse time é, literalmente, só alegria.

Morrendo pela boca


A vítima da língua comprida, ou dedos, é o blogueiro que vos fala, ou escreve.
5 jogos, 5 vitórias e uma recuperação fantástica no campeonato italiano. A Inter de Milão está de volta e Leonardo está, ao menos até o momento, tapando as bocas alheias apressadas por aí.

Vida nova ?

A vitória esmagadora da oposição na eleição para a nova presidência do Palmeiras reflete bem o que foi o mandato de Luiz Gonzaga Belluzzo.

Novos líderes se faziam necessários.

Mas será que eleger Arnaldo Tirone, um parceiro de Mustafá Contursi, ex-presidente da Academia que saiu pela porta dos fundos, é sinônimo de solução ? O tempo dirá.
Não sou dono da verdade, mas tenho a sensação que o nome da vez era o de Paulo Nobre, candidato da terceira via.

18 de jan de 2011

Neymar 4 - O resto 2


Contra tudo e contra todos, assim foi a grande vitória do Brasil na estreia do Sul-americano sub-20.

O Brasil até tentou complicar o que estava sobre controle, mas a maior revelação do futebol brasileiro dos últimos tempos não deixou. Neymar destruiu o jogo. Como é prazeroso ver esse garoto em ação. 4 gols, duas pinturas e uma grande demonstração de amadurecimento e liderança em campo.

Neymar foi caçado, sofreu agressões e tentativas claras de intimidação por parte dos paraguaios, tudo com a conivência do árbitro, olha só que coincidência, argentino, que demonstrou total falta de critério ao expulsar dois jogadores brasileiros e fazer vista grossa para a violência e o antijogo da seleção paraguaia.

No fim, vitória do talento e do futebol arte de um garoto que sabe transformar o esporte em entretenimento.

O jogo

Gostei muito da formação que Ney Franco mandou a campo, aliás, méritos da vitória também para o treinador que agiu rápido após a expulsão de Zé Eduardo recompondo muito bem o time com substituições cirúrgicas.

Ney escalou o Brasil em um 4-4-2 em quadrado, ou 4-2-2-2, com Lucas na meia direita e Oscar pelo lado esquerdo e dois volantes cobrindo as subidas dos laterais Alex Sandro pela esquerda e Danilo pela direita.


A seleção sofreu bastante no começo da partida com a forte marcação do meio campo, os paraguaios marcavam sobre pressão, muitas vezes dobravam a marcação, e não davam espaço para a saída de bola brasileira, que não tinha outra alternativa a não ser a ligação direta defesa-ataque. Com isso a bola não passava pelo setor de maior qualidade da seleção, o de criação. Mas a partir dos 15, 20 minutos a ansiedade da estreia foi passando, os paraguaios não conseguiram manter o ímpeto inicial, e o Brasil passou a colocar a bola no chão e dominar as ações. Resultado: 2x0 no primeiro tempo.

(Foto: Mowa Press)

Na volta do intervalo a inexperiência da idade ameaçou estragar a boa estreia brasileira, dois cartões amarelos, bobos, de Zé Eduardo em menos de 5 minutos deixaram o Brasil em desvantagem numérica. No lance seguinte em uma falha, a única da defesa brasileira na partida, o Paraguai descontou. 2x1.

Com um jogador a menos e sofrendo pressão Ney Franco agiu rápido, mandou Fernando à campo no lugar de Oscar para recompor o setor de meio campo e Galhardo no lugar de Danilo para fechar o lado direito da defesa, por onde o Paraguai chegava com mais perigo.

A partida ganhava contornos dramáticos quando brilhou, mais uma vez, a estrela de Neymar, que já havia feito um golaço no primeiro tempo. Dois lances, dois gols, um deles cinematográfico.

Com o jogo perdido os paraguaios descambaram de vez para a violência, e o juiz resolveu agir, expulsou um brasileiro. Henrique mereceu o cartão, mas a falta foi um sinal claro de irritação, compreensível, de um time que apanhou durante os 90 minutos e o árbitro, que está lá para defender quem joga bola e inibir a violência, nada fez.

No final, vitória de quem entrou em campo para jogar futebol.

Destaques do jogo: Neymar(precisa explicar ?) e Casemiro, que foi muito bem na proteção a zaga e fez uma jogada de craque no lance que originou o primeiro gol brasileiro.


17 de jan de 2011

Até quando ?

Não é o assunto do blog mas é impossível ficar indiferente ao que está acontecendo no Rio de Janeiro.


Não me sinto a pessoa mais indicada para discorrer de forma mais abrangente sobre o assunto, tenho minha opinião claro, mas por estar tanto tempo fora do país prefiro me conter e fazer somente uma observação pelo âmbito esportivo.

É muito bom ver que os profissionais do futebol, que são o que são graças a esse povo, que muitas vezes nem tem condições mas não deixam de comprar um ingresso e ir ao estádio apoiá-los, que tratam seus ídolos com tanto carinho, não estão indiferentes. Com exceção do Sr. Ricardo Teixeira que é presidente de uma instituição que possui uma vasta área na região afetada e nem se pronunciou. Mas deste ninguém espera algo positivo.

É realmente hora dos artistas que fazem o espetáculo, dentro e fora dos gramados, retribuírem o carinho que tanto cobram, e recebem, durante toda a temporada. É hora de usarem sua imagem e influência para levar algum conforto para aqueles sem os quais um clube de futebol não teria nenhum sentido de existir.

Que a dor do outro não seja apenas do outro.

Quem criou ? Um Cacique ?

Como se já não bastasse as atuais camisas dos clubes brasileiros, onde parece que o logo dos patrocinadores é mais importante que os escudos dos clubes, a CBF anuncia isso...


Aí você se pergunta: "Mas por que essa faixa no peito, o que é isso ?"
Ela simboliza o corpo fechado do guerreiro brasileiro.

MEU DEUS, CLARO ! MAS QUEM FOI O GÊNIO QUE INVENTOU ISSO ? COMO NINGUÉM PENSOU NISSO ANTES ?!

Dizer mais o quê ?

16 de jan de 2011

As estreias de sábado


Primeiro jogo da temporada, estreia no campeonato estadual, preparo físico longe do ideal, e a velha história de que levando-se em consideração o contexto, o mais importante é a vitória. Fato. Muito mais para quem tem praticamente um time inteiro ainda para estrear.

O Santos jogou com a preguiça típica de quem acaba de voltar das férias e ainda assim goleou, graças a inocência do experiente adversário e ao ótimo goleiro Rafael.

Não cabe qualquer tipo de análise no momento, seria no mínimo prematura, mas a vitória não deixa de ser uma demonstração de elenco do time santista, que de titulares mesmo só teve o goleiro e a dupla de zaga. E além do mais, para um time que inicia uma temporada cercado de tantas expectativas e com novo treinador, nada melhor do que começar goleando, seja qual for o adversário.



E enquanto o Santos goleava, o Palmeiras começava a temporada 2011 da mesma forma como terminou 2010; mal, muito mal.

A torcida fez sua parte, mas deve ser duro torcer para o Palmeiras hoje em dia.

O time vive a espera de um milagre de Kleber, que está longe de ser o jogador que vendem por aí. Precisa urgentemente de reforços em todos os setores mas preferiu perder tempo em um leilão, que ainda que tivesse vencido, estaria longe de resolver seus problemas.

O maior reforço que o time do Parque Antartica pode receber agora virá das eleições para a nova presidência, e enquanto ela não chega, a torcida paga a conta de uma das administrações mais decepcionantes dos últimos tempos no futebol brasileiro.

14 de jan de 2011

Um exemplo até o fim


Aposentadoria é um momento complicado para qualquer profissional. Deixar a atividade que ocupou sua vida por tantos anos faz com que muitas vezes a pessoa sinta-se perdida, sem perspectivas para o futuro.

Para um jogador de futebol "comum" é sem dúvida o momento mais difícil da carreira, para um jogador de futebol como Washington, é ainda mais doloroso.

Washington é um exemplo de vida, de profissional, de caráter, de perseverança e de amor ao futebol.

Um diagnóstico negativo não foi capaz de parar o Coração Valente, e embora muitos o cornetem, Washington construiu uma carreira absolutamente vitoriosa, embasada na ética, no respeito e no comprometimento com os clubes por onde passou.


Saber a hora de parar pode fazer toda a diferença na forma como você será lembrado. Essa foi a última grande jogada do nobre Coração Valente.

12 de jan de 2011

Prêmio ao jogo coletivo

 
A final em sí já era um reconhecimento e até mesmo uma constatação de que o Barcelona é hoje o time que pratica o melhor futebol no mundo. Um futebol que encanta não pelos lances geniais de um grande craque, mas sim por um jogo coletivo absolutamente perfeito.

Como qualquer conceito no futebol, o de espetáculo e jogo bonito também pode ser visto de diversos ângulos.
Para muitos, "jogo bonito" são aqueles lances de rara habilidade individual, que ainda que não terminem em gol ou vitória, são sufucientes para que o torcedor fique satisfeito.
Mas há aqueles, principalmente pelos lados da Catalunha, que apreciam o futebol de toque de bola, que envolve o adversário, encurrala no campo de defesa e não permite que sequer vejam a "cor da bola".

Messi é sem dúvida diferenciado, mas ao ver o Barcelona em ação hoje, não há como apontar Messi como o principal jogador do time. Não apenas por Xavi e Iniesta, mas como não citar o Puyol e Piqué, melhor dupla de zaga da atualidade, Pedro, incansável no apoio ao ataque e no combate no meio de campo, Daniel Alves, atual melhor lateral direito do mundo, Busquets, a segurança defensiva do time, Villa e seu faro de gol ?

Essa é a diferença fundamental desta premiação em relação aos últimos anos, quando o jogador agraciado com o título de melhor do mundo era praticamente "dono" do time(Com exceção da premiação tosca de 2006 quando Fabio Cannavaro recebeu o prêmio). Cristiano Ronaldo(Manchester United - 2008), Kaká(Milan - 2007), Ronaldinho Gaúcho(Barcelona - 2004 / 2005).


 
Messi é apenas mais uma engrenagem de uma máquina de jogar futebol chamada Barcelona, como todo gênio tem seus momentos de protagonista, mas no fundo, cada gomo desta bola dourada é de um dos comandados de Pep Guardiola.

10 de jan de 2011

Mais Leve que o ar

Há alguns dias em uma conversa sobre a insuportável novela Ronaldinho Gaúcho, um amigo se referiu ao craque como um mito do futebol mundial.
Bem, a conversa passou e por algum motivo fiquei com aquilo na cabeça. Seria Ronaldinho Gaúcho um mito do futebol ?
Por acaso, nesse mesmo dia tive a oportunidade de assistir um documentário, uma espécie de biografia, do astro da NBA Michael Jordan. E esse documentário apenas confirmou uma até então embrionária opinião deste blogueiro; Ronaldinho Gaúcho é sem dúvida um dos grandes jogadores da história, mas não é, e nunca será, um mito do futebol.

Para se tornar um mito, seja ele qual for o esporte em questão, é necessário muito mais do que talento e lances de genialidade.


Mito, é aquele cujo o talento é capaz de mudar completamente a dinâmica do jogo, capaz de criar uma nova forma de se ver e praticar determinado esporte, aquele cuja conduta pessoal é regida pela ética e transparência, aquele que mantêm em mente o constante desejo da vitória, aquele que não se contenta com o que é, que busca sempre algo mais, aquele que ao vermos em ação poderíamos facilmente notar seu amor pelo esporte.

Um mito é alguém, se não amado, ao menos admirado por todos, por tudo que representa ao seu esporte.

"O medo é um obstáculo para algumas pessoas, mas é uma ilusão para mim"

Michel Jordan sim, é um mito do esporte. Revolucionou o basquete. Encantou gerações.
Não ousem colocar Ronaldinho Gaúcho no mesmo patamar.

7 de jan de 2011

Oportunidade única, mas para quem ?

 
O que representa a Copa São Paulo de Futebol Júnior ? Uma oportunidade para os garotos mostrarem seu futebol ou para os empresários encherem os bolsos de dinheiro ?

Estádios em condições precárias, os que não estão interditados.

Completo descaso com a torcida e principalmente com os atletas. Onde estava a ambulância enquanto o garoto Ângelo, do Corinthians, tinha convulsões em campo ?

Arbitragem ? Essa é melhor nem mencionarmos.

A cidade que deseja sediar a abertura de uma Copa do Mundo não consegue sequer organizar um torneio de juniores.

E o que deveria ser uma imensa vitrine, um celeiro para revelação de novos craques, com a qual federações e CBF deveriam ter a máxima atenção e cuidado, que deveria ser tratada como uma jóia pois representa o futuro do esporte, hoje nada mais é do que uma imensa exposição como as de cavalos de raça ou gado. A diferença, é que os animais adquiridos nessas exposições são muito bem tratados, já os jogadores, bom, esses serão abatidos por empresários e agentes sedentos por dinheiro.

COMUNICADO

Venho por meio desta (nossa sempre quis usar esse começo) comunicar à todos os leitores do De Olho no Lance que este blogueiro recebeu um convite do blog Net-Esportes http://net-esportes.blogspot.com/ para ser um dos novos colunistas e está feliz em aceitar.

Só tenho a agradecer mais uma vez, primeiramente a Deus, e depois a todos que acompanham este trabalho. Agradeço também ao amigo Kaique Pedaes pelo reconhecimento e convite, farei o melhor que puder.

Espero que todos possam acompanhar mais este trabalho, o blog é incrivel, de ótima qualidade nos textos e extremamente informativo.

5 de jan de 2011

A lenda

Já desisti de acompanhar os noticiários esportivos desse início de temporada. Por que ?
Por não suportar mais esse leilão ridículo em que se transformou a volta de Ronaldinho Gaúcho ao futebol brasileiro.


Sou fã do craque, muito. Ao meu ver é o grande responsável pelo Barcelona estar como está hoje. Seu talento dentro de campo é incontestável, apesar de lhe faltar regularidade há um bom tempo, mas sua conduta nessas negociações é lamentável.

Amor à camisa há muito virou lenda, com raras exceções, e infelizmente parece que Ronaldinho Gaúcho não se encaixa nelas. Embora não seja nenhum senhor, conheço futebol bem o bastante para saber que na hora de decidir, jogador leva em consideração as condições de trabalho e nada mais, e para um jogador do nível de RG isso é traduzido em condições de pagamento do que está lhe sendo proposto.
Não concordo, mas também não condeno tal pensamento. Infelizmente nesse tipo de julgamento há dois pesos e duas medidas. A "vida" de um jogador de futebol é curta e muitas vezes é compreensível que o dinheiro fale mais alto. Porém não é o caso. Não acredito que preocupação financeira seja um problema para o dentuço hoje em dia, e é exatamente por isso que a conduta de Ronaldinho e seu irmão são decepcionantes.

Grêmio, Flamengo, Palmeiras... me parece óbvio qual deveria ser seu destino.

 
Ronaldinho nasceu no Grêmio, supostamente o clube gaúcho deveria ser sua casa, seu time de coração. Deixou o Olímpico para conquistar e encantar o planeta com seu talento, sem que os gaúchos recebessem absolutamente nada na época.
Deveria ter assinado no mesmo instante em que o Grêmio divulgou que tem o apoio e as parcerias necessárias para viabilizar sua volta. Por que ?
Porque Ronaldinho tem uma dívida com o Grêmio e os gremistas.
Porque dinheiro não é mais uma questão relevante na hora de sua escolha. E ainda que fosse, a proposta do Grêmio não perde em nada para as demais.

Ao fazer esse leilão, Ronaldinho perdeu a chance de provar que a relação de amor e identificação entre um jogador e um clube ainda existem. Provou apenas, aos que ainda tinham alguma dúvida ou esperança do contrário, que o futebol é cada vez mais regido por dinheiro e interesses.

2 de jan de 2011

Presos ao passado

Fim das festas. Dentro de alguns dias começa a temporada 2011 com os campeonatos estaduais, tão tradicionais quanto dispensáveis.
Alguns contam com fórmulas toscas, que apenas contribuem para o caos do calendário do futebol brasileiro, como o Paulista, que contará com 20 times em 2011, jogando todos contra todos em turno único. Campeonato longo, maçante, com um número excessivo de partidas entre os "pequenos".

Os campeonatos estaduais sobrevivem até hoje por sua tradição e talvez por respeito as competições que outrora reinavam em um país de extensões continentais que não possuia comunicação entre os seus grandes centros. Mas é inegável que eles não possuem mais o charme de antigamente.

Para os pequenos uma chance de "aparecer" no cenário nacional. Para os grandes, a única função dos estaduais é acabar com a chance de uma pré-temporada decente.

Talvez o término seja uma solução um tanto radical, mas encurtá-los me parece uma medida de bom senso. Um passo para resolver inúmeros problemas do futebol brasileiro, como excesso de lesões, já que os clubes teriam uma pré-temporada, e a simultaneidade de competições.

Fato é que entre todas as competições do calendário do futebol brasileiro atualmente, os estaduais são os menos valorizados pelos clubes. Entra ano e sai ano e os principais clubes do país fazem questão de deixá-los em segundo plano. Então por que perder 5 meses do ano disputando-os ?

O calendário do futebol brasileiro agoniza, precisa urgentemente ser revisto. Que me desculpem os nostálgicos e conservadores, mas os Estaduais hoje nada mais são do que tradições que, remetem à um passado distante, prejudicam o presente e impossibilitam o futuro.