"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

7 de fev de 2011

Derrota para as circunstâncias

Parecia que ela nunca viria, mas enfim chegou, a primeira derrota da seleção brasileira no pré-olímpico sub-20. Justamente contra nossos maiores rivais, históricamente uma pedra em nossa chuteira no sonho do ouro olímpico.

Dizer que "o Brasil perdeu para sí mesmo" e tirar os méritos do adversário já é um clichê no futebol brasileiro. Faço parte daqueles que cornetam essa "arrogância" brasileira, mas em partidas como a de hoje, é impossível dizer o contrário.

O time brasileiro é muito superior ao argentino, fato. Salvo alguns talentos como Iturbe e Royos, essa é talvez, a seleção pré-olímpica mais fraca dos hermanos nos últimos anos.
Porém, como, modéstia parte, esse blogueiro vem alertando há tempos, a superioridade e o talento brasileiro se perderam no temperamento e na falta de autocontrole.


Juan, zagueiro que começava a ganhar um fã aqui em casa, foi expulso em um lance absolutamento infantil, desnecessário e que é o retrato da imaturiadade de um time de garotos, deixando o Brasil em desvantagem numérica logo aos 6 minutos de jogo. Não satisfeito, protagonizou o lance dentro da área brasileira. Resultado: Pênalti, 1x0 no placar e 11x10 dentro de campo.

Mesmo sendo superior técnicamente, jogar um Brasil x Argentina com um homem à menos é muito complicado. Ney Franco foi obrigado a sacrificar o meio campo brasileiro, sacando Oscar, para recompor a defesa, com Romário.

A partir daí começou o show brasileiro. Show de garra, disposição, entrega dentro de campo, vontade, luta em busca do gol de empate.
Se você ligou sua televisão e começou a assistir a partida depois dos 10 minutos iniciais, certamente não percebeu que o Brasil jogava com um jogador a menos.
O Brasil tinha mais posse de bola, controlava as ações diante de uma, surpreendente, Argentina acuada que não conseguia fazer prevalecer sua superioridade numérica.

A garra brasileira foi recompensada com um belíssimo gol de empate de William, e quando parecia que uma vitória histórica de aproximava, o outro defeito grave do time de Ney Franco, a desatenção quando o jogo é paralisado, decidiu a partida.
Em um lance de "bola ao chão" a zaga brasileira "cochilou" e Iturbe, um oasis de talento no deserto argentino, fez um golaço e decretou o primeiro revés de Neymar e cia.

Iturbe - O novo Messi [ mais um ]

Neymar, que como todo time brasileiro, demonstrou muito nervosismo e acabou levando o segundo cartão amarelo e está suspenso para próxima partida, problema sério para o outro Ney resolver.
Apesar do cartão, o garoto, de agora 19 anos, demonstra uma característica que faz parte do verdadeiro craque. Neymar não se omite, não se esconde quando seu time entra em uma situação complicada como a de hoje, pelo contrário, se apresenta, chama o jogo e a responsabilidade e honra seu status de principal jogador do time.
Diferente de alguns astros por aí que se dizem grandes craques mas só brilham em jogos fáceis contra times fracos. Os torcedores do Real Madrid que o digam.

O saldo para a competição é ruim, o Brasil agora se vê obrigado a vencer dois compromissos complicados, Equador e Uruguai, mas o saldo com a torcida, ao menos com esse que vos escreve, é muito positivo. Como diria minha mãe, fã de futebol e responsável pelo meu DNA futebolístico; "Perder assim, pode".

Análise Tática

Depois da expulsão de Juan, Ney Franco sacou Oscar para recompor a defesa. Como a marcação argentina pelo meio faria 2 contra 1 em Lucas, por sobrar um homem, e a criação da seleção ficaria comprometida, inteligentemente, Ney abriu Lucas para o lado esquerdo e liberou Alex Sandro para apoiá-lo por aquele setor, segurando Danilo para fazer um terceiro zagueiro pela direita. Os resposáveis pela criação no meio foram Casemiro e William, que voltava para buscar o jogo e fazer o pivô para os homens que vinham de trás e consequentemente abrindo espaços para as inflitrações em diagonal de Neymar.


Na segunda etapa Neymar e Lucas inverteram os lados para que os companheiros de Santos trabalhassem pelo lado esquerdo, e foi exatamente dali que saiu a jogada do gol de empate.

Ney Franco mostrou mais uma vez a costumeira inteligência tática. Apesar da derrota e da ausência de Neymar para o jogo decisivo diante do Equador, a seleção irá á Londres 2012, podem me cobrar.

9 comentários:

Giovani Mattiollo disse...

Eu até assisti o começo do jogo, mas fui dormir antes do fim do primeiro tempo. O jogador a menos (tinha que ser colorado!) fez muita falta e prejudicou o Brasil.

Abraço

http://gremista-sangueazul.blogspot.com

Gol de Mão disse...

Pela raça que o time demonstrou, deveria ter saido com no mínimo um empate. Essa equipe tem tudo pra conquistar as duas vagas, só não pode vacilar na reta final.

Gostei muito da análise tática, parabéns!!!

Equipe Blog Gol de Mão
www.bloggoldemao.blogspot.com

Claudio Henrique disse...

E aí Luciano, blz cara?

Essa derrota me fez chegar a conclusão que a seleção brasileira não é isso tudo e que a Argentina não é tão fraca assim como fez parecer.

Abraços!

http://wwwfanaticosporfutebol.blogspot.com/

FuteB.R.O.N.C.A.! disse...

Perdemos sobretudo pela falta de controle da molecada, com os nervos a flor da pele, como se estivessemdisputando o ultimo jogo de suas vidas.

Saudações!!!

Í.ta** disse...

eu concordo que é ótima a disposição do neymar, ele chamar a responsabilidade, mas eu vejo também que às vezes ele confunde isso com querer decidir tudo sozinho. ontem percebi muito isso no jogo. prendeu demais.

e é preciso ficar alerta para esse destemperamento do time. a expulsão do zagueiro foi ridícula e covarde. e a irritação do time em campo não pode acontecer, independentemente das circunstâncias e etcs.

ótima postagem!

abraços.

dinojapao disse...

Olá Luciano, parabéns pelo blog.
Gostei da sua coluna no netsports falando sobre J-League, principalmente lembrando do Wagner Lopes, se puder falar mais sobre ele, ficarei feliz. Admiro principalmente por ter visto boas participações dele na Tv japonesa comentando jogos com nihongô perfeito.

Sandro Honorato disse...

Olá e ai tudo bem?
Brasil deu mole mas a derrota teve um lado postivo: Brasil vai entrar mais ligado contra o Equador e Contra o Uruguai ( Que eu acho que vai para as Olimpiadas).
Abraços
........................
RIMAS DO PRETO

William disse...

Fala Luciano,
Essa derrota mostra a cara verdadeira dessa seleção. Uma seleção ruim e como já disse em alguma postagem sua anteriormente, eu ainda não considero o Neymar um craque. Aliás, está longe disso! É um bom jogador somente, mas suas atitudes são ridículas. O Santos erra muito em não saber lidar com ele.
A Seleção vai se classificar com certeza, independente dessa derrota para a Argentina. Vai porque os outros são bem piores.
Um grande abraço e ótima sexta feira

Central do Pitaco disse...

O pessoal da seleção ganhou com méritos o campeonato, contra a Argentina o juíz garfou nossa seleção, pelo menos o mundo pode acompanhar nossas joias em campo, valeu para todos!

Abs,

Central do Pitaco