"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

30 de abr de 2011

Curtinhas

Histórico Coxa


Sem esse papo de que o Campeonato Paranaense não é parâmetro para comparações e blá blá blá...
A "qualidade técnica" passou longe de todos os campeonatos estaduais do Brasil, sem exceção.
O Coritiba enfrenta adversários inferiores e sem expressão ? Todos enfrentaram e nenhum conquistou 22 vitórias seguidas, e digo mais, podem me cobrar, muito "time grande" vai entrar para lista de vítimas do Coxa no Brasileirão.

Não reconhecer o sucesso e os méritos dos outros é característica básica dos invejos e medíocres.

A pergunta que não quer calar

Qual será o próximo clube a jogar dinheiro fora com Carlos Alberto ?

Contentando-se com pouco

No dia seguinte a vitória do Flamengo sobre o Horizonte por 3x0 que garantiu a classificação rubro-negra para a próxima fase da Copa do Brasil, li em algum jornal, que não me recordo agora, a manchete: "Agora convenceu" - não exatamente isso mas algo nesse sentido - e pensei: Convenceu quem ?

3x0 no Horizonte-CE, com todo respeito aos cearenses, com um gol "sem querer" é convercer alguém ?

Quero deixar claro que acompanhei a partida, ou pelo menos acho que acompanhei a mesma partida que todos, e independentemente do gol "sem querer" ou do placar relativamente folgado, o Flamengo não jogou bem, longe disso, esteve mal em campo e mal escalado. De bom mesmo nesse jogo só o belíssimo gol do volante Willians, e a piada que dele se originou; "Messi é um Willians que não marca"

"Vitória da boçalidade"

Expressão usada pelo jornalista e apresentador do SPORTV André Rizek, com a qual eu concordo plenamente, ao se referir a nova tendência mundial de jogos com torcidas únicas.
Essa prática, que é o que vem acontecendo em São Paulo e vai se repetir nos clássicos desse fim de semana, está no topo da lista de abominações no futebol, destrói por completo o espetáculo.

Aonde vamos parar se não somos mais capazes de sequer conviver em um estádio de futebol respeitando as opções e preferências dos outros ?

Parece que esse é o preço que o futebol e os verdadeiros torcedores terão que pagar pela aparente caminhada contrária de meia-dúzia de pseudotorcedores na escala da evolução. Enquanto todos buscamos evoluir e nos tornar pessoas mais cultas e inteligentes, esses indivíduos parecem não medir esforços para voltarem a ser primatas incapazes de viver na sociedade atual.

28 de abr de 2011

Vermelho para alguns, verde para outros

Não que o jogo tenha sido ruim, mas o esperado futebol deu lugar à tensão, truculência e catimba exagerada por parte de ambas as equipes.

Real Madrid x Barcelona será sempre um espetáculo à parte. Cada partida entre os rivais tem uma história única, cada uma delas certamente conta com seu protagonista, o herói, e por vezes com o seu antagonista, o vilão.

A partida caminhava para um frustrante empate sem gols, até que Pepe resolveu assumir seu papel no capítulo de hoje, e ao entrar de forma no mínimo imprudente em Dani Alves, o brasileiro naturalizado português vestiu a fantasia de vilão e mudou a história do jogo.

 
O que para o resto do mundo era apenas um cartão vermelho nas mãos do árbitro, que significava nada mais do que a expulsão de um jogador do restante da partida, para Messi era o "passaporte para a liberdade", um alvará para a livre execução de sua arte.

Não mais do que alguns minutos, tempo necessário para que Messi e sua canhota mágica decidissem o confronto já na primeira partida.



28 de maio, Wembley, Inglaterra. Manchester United x Barcelona farão a final da Champions League 10/11.

27 de abr de 2011

Curtinhas

[Só para constar] Tenho cara de palhaço ?

239 rodadas inúteis para chegarmos no óbvio; Palmeiras x Corinthians - São Paulo x Santos. E na hora em que o campeonato fica, um pouco, interessante, jogos únicos.
E o senhor Marco Polo Del Nero ainda tem a cara-de-pau de dar nota 8 ao campeonato e dizer que FALTOU calendário.

Excesso de confiança ?

Um empate com um jogador a menos. Uma vitória que valeu um título sobre o maior rival. Suficientes para Mourinho deixar de lado comportamento de "bom samaritano" e voltar à rotina de provocações e declarações polêmicas.

Há pouco tempo fiz um post defendendo o treinador português, ao meu ver Mourinho é um grande estrategista, um dos poucos, pra não dizer o único, capaz de parar o mágico Barcelona de Messi e cia. Não que todos os méritos sejam do português, afinal, ele não entra em campo, mas nesse caso o treinador tem sim a maior parte dos méritos, e a razão para que eu defenda isso é simples; No papel, há alguns times no mundo capazes de vencer o Barcelona, porém, nos últimos anos apenas o time que conta com José Mourinho no banco é capaz de fazê-lo. Contra fatos não há argumentos.

Porém o estrategista Mourinho não atua apenas dentro de campo, fora dele também usa todos os artifícios possíveis para desestabilizar o adversário.
Para muitos arrogância e uma espécie "autopromoção", para outros faz parte da cultura do futebol. Fato é que Mourinho foge do convencional dentro e fora de campo, é um personagem e uma atração à parte em um universo que vem ficando cada vez mais chato e careta.

Manchester United x ?

Com todo respeito ao Schalke 04, mas os Diabos Vermelhos estão na final da Champions 10/11.

Os alemães foram fantásticos e estão de parabéns, mas o sonho acabou.

O Manchester United, não encanta, apesar de ser um time fantástico. Não tem o melhor técnico do mundo [há controvérsias]. Não tem o melhor jogador do mundo. Mas, é um time como poucos. Craques que desequilibram, jogo coletivo sensacional e uma camisa que é a tradução de "tradição".

Então, olho em Sir.Alex Ferguson e seus comandados, porque quando estes entrarem em campo no dia 28 de maio em Wembley, impedir que a taça siga o caminho até Old Trafford será tarefa para poucos.

22 de abr de 2011

19º Regra

Se você é realmente fã de futebol, deve saber que de forma oficial o jogo possue 17 regras. Não vou listá-las, mas se você tem interesse poderá encontrá-las clicando aqui.
Porém entre os boleiros, é comum ouvirmos a respeito da 18º regra, a regra do "bom senso", ou, o uso dele para a interpretação das demais regras.

O tempo passa, o mundo muda, a vida muda, e o futebol, como qualquer outra atividade, pode, e deve, ser melhorado e aperfeiçoado com novos métodos, recursos e até mesmo regras.
Hoje muitos defendem o uso de tecnologias no futebol, discute-se mudanças nas regras sobre o que é "bola na mão e mão na bola", sobre o que é pênalti ou não é, enfim, discussões eternas que alimentam as rodas dos boleiros Brasil afora.

Em meio a tantas discussões, recentemente apareceram os defensores da 19º regra, a regra da mediocridade.
Básicamente ela diz o seguinte: "Eu sou ruim, e você não tem o direito de ser melhor do que eu".

A polêmica envolvendo Valdívia e sua "conduta" na partida contra o Santo André é absolutamente rídicula. Reclamações por "firulas" e dribles são ridículas. E a "resposta" de Anderson, entrando de forma violenta no chileno que nada fez a não ser jogar futebol, foi um crime, e um atestado de "já que não consigo responder na bola, vou dar porrada".

Essa "ética" que se criou de que o drible deve ser "objetivo" é tosca, uma auto-proteção dos pernas-de-pau que não sabem fazer e nem como parar jogadores habilidosos como o camisa 10 palmeirense.

Todo e qualquer drible tem como objetivo, provocar, no melhor dos sentidos, o adversário, incitá-lo a intranquilidade, atacar seu psicológico, trazer a torcida para junto de sí, torcida que aliás é a engrenagem mais importante do futebol e que está no estádio para ver exatamente isso, espetáculo, fazer com que seu time cresça na partida, e eventualmente, se for oportuno e possível, ir em direção ao gol e fazer a diferença na jogada.

Se você é um craque, tem todo o direito de usar sua habilidade e recursos para frente, para trás, para o lado, para cima, para baixo, não interessa, se você é um ogro que não sabe o que fazer com a bola e "não dá conta" de quem sabe, como nosso amigo Anderson, tira a chuteira, coloca o chinelo e fica em casa meu caro, ninguém precisa de alguém como você em campo.

20 de abr de 2011

Estrategista ou retranqueiro ?

Apesar do empate, o primeiro encontro da série de quatro partidas entre Real Madrid e Barcelona foi mais uma aula de futebol por parte dos catalães.

Muito se falou depois do jogo sobre a postura da equipe de Mourinho, e recentemente figuras importantes na história dos dois times deram declarações polêmicas, todas criticando duramente o suposto "melhor treinador do mundo".

Di Stéfano levou o Real Madrid à cinco títulos da Champions League

Di Stéfano, maior nome da história do Real Madrid, chamou o próprio clube merengue de "rato", enquanto Johan Cruyff, que fez história com a camisa do Barcelona e que cuja a troca de "carinhos" com José Mourinho não é nenhuma novidade, chamou o português de medroso e retranqueiro.

Johan Cruyff - Líder da "Laranja Mecânica" e um dos maiores nomes da história do Barcelona

Quando dirigia a Inter de Milão Mourinho era reverenciado por sua inteligência tática, elogiado pela forma como armava seus times de acordo com o adversário, anulando suas principais jogadas. Assim, A Inter de Mourinho eliminou esse mesmo Barcelona dentro do Camp Nou na Champions League 09/10, assim, Mourinho foi campeão da Champions League com o Porto e vem colecionando títulos por onde passa.

Não concordo com quem o chama de retranqueiro, a verdade é que, doa a quem doer, não importa se você dirige o Real Madrid ou o Íbis, se você joga em casa ou em Marte, fato é que tentar jogar de igual para igual com o Barcelona de Xavi, Iniesta, Messi e cia é suicídio. Mourinho, inteligente que é, sabe disso e não tem vergonha alguma de lançar 7 ou 8 defensores em pleno Santiago Bernabéu em busca do resultado, porque, você pode não concordar, como eu não concordo, pode achar que futebol é muito mais do que simplesmente vencer, como eu também acho, mas não pode negar que o futebol atual é movido por resultados, e isso, José Mourinho apresenta como poucos.

José Mourinho - Nomeado pela FIFA como melhor técnico do mundo

Porém repare bem no que está destacado no texto acima, é aí que está o maior erro do português, que provêm dos tempos em que dirigia a Inter de Milão.
Mourinho, por sua personalidade forte e atitudes as vezes toscas, como a de aparecer na entrevista coletiva e não abrir a boca na última semana, se transformou em um personagem do futebol mundial, aparece mais que seus atletas, ganhou uma mística em torno do seu nome e uma importância exagerada para o cargo que possue.
Quando lembramos da Inter de Milão campeã de tudo não mencionamos as belas atuações de Sneijder, da sólida defesa liderada por Lúcio, das partidas magistrais de Eto'o, que até de lateral jogou, enfim, lembramos apenas que Mourinho levou os italianos à um título desejado por décadas.

Sou fã, apesar de novo, de Johan Cruyff, responsável pela última grande revolução do futebol. Marcou seu nome na história pelo futebol praticado, e não pelos títulos no currículo, e isso é absolutamente extraordinário. Mas não posso deixar de admirar a postura de José Mourinho por fazer o que for necessário para que sua equipe saia de campo com a vitória, usa o regulamento a seu favor, manda à campo o que for preciso e enquanto suas "armas" respeitarem as regras do jogo não há motivos para maiores críticas.

Você pode não concordar com a filosofia, mas tem alguma dúvida de que a torcida merengue será a mais feliz do mundo ainda que o Real Madrid elimine o Barcelona da Liga do Campeões por 1x0 com um gol de mão ?

Como tudo na vida o futebol pode ser visto, encarado e interpretado de diversas maneiras, e o que muitos chamaram de covardia e falta de personalidade por parte do Real Madrid no Santiago Bernabéu é exatamente o que fizeram todos os outros que estiveram frente ao Barcelona, o único que não fez, Shakhtar Donetsk, levou de cinco, fora o baile.

Não se trata de covardia, e sim do inevitável, do incontestável, do absolutamente necessário.

Vale lembrar que tal estratégia funcionou para o Arsenal na partida de ida das oitavas-de-final da Champions, quando o clube londrino chegou a vitória na base do contra-ataque.

É bem verdade que o jogo era válido por outra competição e que o Real Madrid precisava da vitória, mas isso tudo é só a "teoria da tabela" do Campeonato Espanhol, porque na prática, o duelo foi muito mais uma preparação e uma análise para os dois duelos que realmente importam pela Champions League.

José Mourinho é um estrategista como poucos, criticá-lo sentado no sofá de casa é fácil, gostaria de ver os mesmos que criticam, se treinadores fossem, mandarem à campo um time ofensivo para jogar de igual para igual com o Barcelona.

O Barcelona representa o futebol em sua essência mais pura, mas não surge do dia para a noite. O futebol atual que encanta o mundo é fruto de um trabalho de mais de trinta anos que começa nas categorias de base do clube. E enquanto não surgirem outros "Barcelona's", resta aos treinadores buscarem formas de tentar sobreviver a esse rolo compressor azul-grená.

18 de abr de 2011

[sem título]

Nos últimos tempos o blog vem sendo pouco atualizado, peço desculpas aos leitores mas a explicação é simples: 

Falta de vontade[até para pensar em um título original] e assunto. Por que ?

Uma rodada inteira de um campeonato estadual, que conta com 20 clubes e uma fórmula ridícula, valendo absolutamente nada.

Flamengo x Macaé - valendo nada.

Fluminense x Nova Iguaçu - valendo nada.

Vasco x Olaria era "O" jogo do campeonato [para o Botafogo !].

O Campeonato Mineiro tem alguma novidade ?

O jogão do Sul: Grêmio x Ypiranga.

Assistir o quê ? Campeonato do Coriti... digo, Paranaense ?

Postar o quê ?

Enquanto isso na Europa...


...ou...


E tem gente que fica horrorizada pela preferência de muitos pelo futebol internacional.

Se você não tem como acompanhar, aconselho a ir ao cinema, teatro ou qualquer outra coisa amigo, porque futebol no Brasil, só no segundo semestre.

14 de abr de 2011

Descaracterização que custa craques


Esse foi o time do Real Madrid que começou a partida de ontem pela Champions League contra o Tottenham.
Reparem onde Mourinho escalou o lateral esquerdo Marcelo.

Agora a pergunta:

Por que o treinadores europeus insistem em avançar nossos laterais e volantes modificando completamente suas características ?
Basta que eles demonstrem o mínimo de qualidade no apoio ao ataque e rapidamente são "avançados", descaracterizando completamente os jogadores, o que muitas vezes faz com que percam suas melhores qualidades, que no caso específico de Marcelo, são as chegadas de trás, as passagens em velocidade pela esquerda e as infiltrações em diagonal.

Diante do Tottenham, Mourinho escalou Marcelo de meia esquerda com Arbeloa praticamente de terceiro zagueiro pelo mesmo lado para dar liberdade ao brasileiro, e, mesmo com a vitória por 1x0, não deu nada certo. Por que ? Primeiro porque Arbeloa para marcar Lennon é suicídio. Segundo porque Marcelo não é meia e sim lateral.
Jogando no meio-campo Marcelo perdeu muito em movimentação e foi fácilmente anulado pela marcação.

Trocando em miúdos, no meio-campo Marcelo é apenas mais um, até abaixo da média na Europa, jogando na lateral, está seguramente entre os melhores do mundo.

Recentemente o futebol brasileiro perdeu muitos bons laterais pelo mesmo motivo na Europa. Michel Bastos, que defendeu a seleção na última Copa do Mundo, sofreu exatamente o mesmo processo no Lyon. Ilsinho , hoje de volta ao São Paulo, saiu como promessa de grande lateral direito, foi avançado e se tornou apenas mais um no meio campo.

O mesmo acontece com muitos volantes brasileiros que pouco a pouco vão sendo avançados para o setor de criação, como Hernanes (Lazio) e Ramires (Chelsea). Embora estejam se adaptando bem a nova função, foram comprados por esses clubes por razões bem distintas.
No caso dos volantes há a justificativa de que as formações táticas e as formas de jogo, principalmente do futebol inglês e italiano, exigem que todos os jogadores de meio-campo sejam volantes-meias. Em alguns casos a afirmção até procede, mas a descaracterização dos jogadores é inevitável, e nesse processo, por vezes acabamos perdendo aqueles que poderiam ser grandes jogadores.

Agora convenhamos, com o elenco que Mourinho tem à disposição, é absolutamente desnecessário "sacrificar" quem hoje é o melhor lateral esquerdo em atividade no planeta.

13 de abr de 2011

"Aí sim ! Fomos surpreendidos [?] novamente"

Uma semana de "ausência" e o futebol brasileiro parece ter se transformado em uma edição da revista "Mundo Estranho".
  • Ronaldinho Gaúcho homenageado pela academia brasileira de letras ?
  • Clube fazendo promoção para a torcida, com prêmios, para a melhor foto dos jogadores em seus momentos de folga ?
  • "Adriano pode beber uma vez por semana"
 Que tipo de notícias são essas ?


4 meses de atraso


A diretoria tentou ser "diferente", manteve o treinador depois de um vexame histórico, mas era óbvio que não duraria.
A sombra do Mazembe esteve sempre pairando sobre Celso Roth, que em 90 minutos perdeu todo o status que levou uma vida buscando. Um recomeço longe do Beira-Rio era necessário e óbvio. Diretoria e técnico só prolongaram o sofrimento.
Em relação ao novo técnico, bom, no futebol é impossível dizer com certeza quando algo dará certo ou não, aliás, na maioria das vezes o que tem tudo pra ser perfeito revela-se um fiasco, mas diante do mercado atual e de tudo que Falcão representa ao Internacional, a aposta é muito válida.

 
E como não poderia deixar de ser, já temos o primeiro Grenal da era Falcão; Quem foi melhor; Falcão ou Renato Gaúcho ? Que me desculpem os gremistas, mas dentro das quatro linhas, Falcão foi muito mais jogador.


De "Zidane" à "Robinho"

Embora tenha certeza que não parte apenas do garoto, é lamentável a conduta de Paulo Henrique Ganso nesse imbróglio que se transformou sua situação no Santos, que só tem prejudicado, muito, a carreira e a imagem do jogador.
Coincidência ou não, todos que seguiram o caminho que Ganso está seguindo fracassaram em seus principais objetivos.

 
Que o talento e a magia do futebol de Ganso não se transformem em uma lembrança de apenas seis meses de Santos. Seis meses onde o craque pensava apenas em jogar futebol.

7 de abr de 2011

Baile de debutantes

Debutante - A palavra vem do francês débutante, que significa iniciante ou estreante.

Os debutantes debutaram, e os bailes tomaram conta do velho continente.

Em Milão, o debutante Schalke 04 tirou o anfitrião Inter de Milão pra dançar. Inapeláveis 5x2. Como quis, quando quis, em ritmo de treino.
E no salão de festas San Siro, não se viu vinhos nem licores, a festa foi mesmo com a mais provinciana das bebidas, a boa e velha cerveja.

Na terra da Paella, o debutante dançou conforme a música do anfitrião, que ao invés de uma recepção de boas vindas, preparou um belo trote aos convidados.
Sob o comando do solista Cristiano Ronaldo, o Real Madrid selou a classificação com autoridade. 4x0  no bom time do Tottenham. [para decepção de quem aqui escreve]

E junto com os 4x0 um pequeno convite enviado à Barcelona: "Cheguei. Aceita um encontro ?".

O convite parece ter sido recebido, porque no dia seguinte o salão de festas Camp Nou foi aberto novamente. O convidado, Shakhtar Donetsk, também debutava, e foi apresentado ao melhor mestre de cerimônias da atualidade.
Indiscutíveis 5x1 e a resposta ao convite enviado de Madrid: "Nos vemos na semi-final".

Convite feito. Convite aceito. E embora não haja debutantes nesse encontro, o baile está garantido.

4 de abr de 2011

Inúteis, a gente somos inúteis

Assistindo a rodada dos estaduais não pude deixar de pensar(de novo); "O calendário do futebol brasileiro precisa ser revisto, pra ontem". O que não é novidade pra ninguém, todos sabem do óbvio, menos os que tem o poder para fazer tal revisão.

O primeiro semestre do futebol brasileiro está um marasmo. Durante seis meses esperamos as quartas-feiras e não os domingos para ver "futebol de verdade". Passamos os fins de semana vendo e debatendo jogos absolutamente inúteis, inclusive clássicos, como o deste domingo entre Santos x Palmeiras que, a nível de campeonato, valia nada x nada.

Salvo os nordestinos, os estaduais servem apenas para inchar o calendário, e derrubar técnicos, claro.  

Desprestigiados, desvalorizados, alguns pelas próprias federações, desorganizados, enfim, um desperdício de tempo. Desnecessários.

O mais louco, é que ninguém faz questão de vencer, mas ninguém suporta perder.

E assim caminha o futebol brasileiro, espremendo a competição que mais interessa no segundo semestre e desperdiçando 5 meses com competições que só existem aqui e já não tem o mesmo apelo público de outrora.

Estaduais, federações, CBF, CONMEBOL... tem que amar muito futebol por aqui amigo.

Aliás, não sejamos injustos. Os estaduais não são completamente inúteis, eles atrapalham o calendário, e entediam os torcedores.

2 de abr de 2011

O homem certo com a camisa certa

É impressionante como a tradição e a camisa de determinados times são capazes de mudar a história de um jogo.
Acabo de acompanhar a virada sensacional do Manchester United sobre o West Ham, aquele tipo de vitória que vai minando as esperanças dos rivais e empurrando os Diabos Vermelhos a passos largos para mais um título inglês.

15 minutos do segundo tempo, falta para o Manchester United na entrada da área, o placar marcava 2x0 para o West Ham, antes do juiz autorizar a cobrança, Wayne Rooney é o encarregado, o juiz autoriza...

...2x1.

Um único gol, que somado a uma onipotente camisa e a um onipresente craque, é capaz de engolir qualquer adversário sobre qualquer circunstância desfavorável.

Engana-se quem pensa que o número 10 na camisa de Rooney é por acaso. Rooney é acima da média, um craque entre os craques, e é bom que se diga, não é centroavante. Rende muito mais chegando de trás, tem ótimo passe e visão de jogo e é capaz até mesmo de armar a equipe. Hoje jogou até de volante, deixando muitos volantes de ofício "no chinelo".


O "10" lhe cai muito bem.

Mas voltando ao jogo...

27 minutos do segundo tempo, passe da direita, Wayne Rooney recebe dentro da área...

...2x2.

32 minutos do segundo tempo, pênalti para o Manchester United, Wayne Rooney é o encarregado...

...2x3.

Chicharito ainda fez o quarto e deu números finais a partida.


Uma partida onde 15 minutos de Rooney e uma camisa com 15 décadas de história fizeram toda a diferença.