"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

22 de abr de 2011

19º Regra

Se você é realmente fã de futebol, deve saber que de forma oficial o jogo possue 17 regras. Não vou listá-las, mas se você tem interesse poderá encontrá-las clicando aqui.
Porém entre os boleiros, é comum ouvirmos a respeito da 18º regra, a regra do "bom senso", ou, o uso dele para a interpretação das demais regras.

O tempo passa, o mundo muda, a vida muda, e o futebol, como qualquer outra atividade, pode, e deve, ser melhorado e aperfeiçoado com novos métodos, recursos e até mesmo regras.
Hoje muitos defendem o uso de tecnologias no futebol, discute-se mudanças nas regras sobre o que é "bola na mão e mão na bola", sobre o que é pênalti ou não é, enfim, discussões eternas que alimentam as rodas dos boleiros Brasil afora.

Em meio a tantas discussões, recentemente apareceram os defensores da 19º regra, a regra da mediocridade.
Básicamente ela diz o seguinte: "Eu sou ruim, e você não tem o direito de ser melhor do que eu".

A polêmica envolvendo Valdívia e sua "conduta" na partida contra o Santo André é absolutamente rídicula. Reclamações por "firulas" e dribles são ridículas. E a "resposta" de Anderson, entrando de forma violenta no chileno que nada fez a não ser jogar futebol, foi um crime, e um atestado de "já que não consigo responder na bola, vou dar porrada".

Essa "ética" que se criou de que o drible deve ser "objetivo" é tosca, uma auto-proteção dos pernas-de-pau que não sabem fazer e nem como parar jogadores habilidosos como o camisa 10 palmeirense.

Todo e qualquer drible tem como objetivo, provocar, no melhor dos sentidos, o adversário, incitá-lo a intranquilidade, atacar seu psicológico, trazer a torcida para junto de sí, torcida que aliás é a engrenagem mais importante do futebol e que está no estádio para ver exatamente isso, espetáculo, fazer com que seu time cresça na partida, e eventualmente, se for oportuno e possível, ir em direção ao gol e fazer a diferença na jogada.

Se você é um craque, tem todo o direito de usar sua habilidade e recursos para frente, para trás, para o lado, para cima, para baixo, não interessa, se você é um ogro que não sabe o que fazer com a bola e "não dá conta" de quem sabe, como nosso amigo Anderson, tira a chuteira, coloca o chinelo e fica em casa meu caro, ninguém precisa de alguém como você em campo.

4 comentários:

FuteB.R.O.N.C.A.! disse...

Olhei para os meus pés ao terminar o texto e..... estou de chinelos! Meu Deus! Mas não, não sou um ogro...rsrs

é por isso que curto este espaço aqui, pq lemos aquilo que pensamos e escrevemos em nossos blogs. Acabei de tocar no assunto lá no FuteB.R.O.N.C.A.!

Querem, meu amigo, cada vez mais engessar o futebol, criar estas tais regras que vc falou, quando na verdade deveriam modernizá-lo a ponto de proteger quem o promove, como é o caso do Valdívia.

Onde vamos parar?

Saudações!!!

Samira Calais disse...

O que eu gostaria mesmo era ver esses jogadores meia boca de hoje em dia numa partida contra o Garrincha.
Devia ser uma honra levar um drible do Garrincha.

Besteira demais esses jogadores que reclamam de dribles. O respeito dentro de campo tem que existir sim, mas dar umas canetas, umas pedaladas e uns elásticos definitivamente não é falta de respeito!

Samira
http://oquedeuerradofc.blogspot.com/

Giovani Mattiollo disse...

O futebol de hoje não é mais como antigamente...

Abraço

http://gremista-sangueazul.blogspot.com

Cabeça Feminina disse...

oeee
desculpa a demora,
mttt obrigada por seguir meu blog, fico mt contente!!!


grande beijo e uma otima semana!!!

http://cabecafeminina.blogspot.com