"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

14 de abr de 2011

Descaracterização que custa craques


Esse foi o time do Real Madrid que começou a partida de ontem pela Champions League contra o Tottenham.
Reparem onde Mourinho escalou o lateral esquerdo Marcelo.

Agora a pergunta:

Por que o treinadores europeus insistem em avançar nossos laterais e volantes modificando completamente suas características ?
Basta que eles demonstrem o mínimo de qualidade no apoio ao ataque e rapidamente são "avançados", descaracterizando completamente os jogadores, o que muitas vezes faz com que percam suas melhores qualidades, que no caso específico de Marcelo, são as chegadas de trás, as passagens em velocidade pela esquerda e as infiltrações em diagonal.

Diante do Tottenham, Mourinho escalou Marcelo de meia esquerda com Arbeloa praticamente de terceiro zagueiro pelo mesmo lado para dar liberdade ao brasileiro, e, mesmo com a vitória por 1x0, não deu nada certo. Por que ? Primeiro porque Arbeloa para marcar Lennon é suicídio. Segundo porque Marcelo não é meia e sim lateral.
Jogando no meio-campo Marcelo perdeu muito em movimentação e foi fácilmente anulado pela marcação.

Trocando em miúdos, no meio-campo Marcelo é apenas mais um, até abaixo da média na Europa, jogando na lateral, está seguramente entre os melhores do mundo.

Recentemente o futebol brasileiro perdeu muitos bons laterais pelo mesmo motivo na Europa. Michel Bastos, que defendeu a seleção na última Copa do Mundo, sofreu exatamente o mesmo processo no Lyon. Ilsinho , hoje de volta ao São Paulo, saiu como promessa de grande lateral direito, foi avançado e se tornou apenas mais um no meio campo.

O mesmo acontece com muitos volantes brasileiros que pouco a pouco vão sendo avançados para o setor de criação, como Hernanes (Lazio) e Ramires (Chelsea). Embora estejam se adaptando bem a nova função, foram comprados por esses clubes por razões bem distintas.
No caso dos volantes há a justificativa de que as formações táticas e as formas de jogo, principalmente do futebol inglês e italiano, exigem que todos os jogadores de meio-campo sejam volantes-meias. Em alguns casos a afirmção até procede, mas a descaracterização dos jogadores é inevitável, e nesse processo, por vezes acabamos perdendo aqueles que poderiam ser grandes jogadores.

Agora convenhamos, com o elenco que Mourinho tem à disposição, é absolutamente desnecessário "sacrificar" quem hoje é o melhor lateral esquerdo em atividade no planeta.

4 comentários:

FuteB.R.O.N.C.A.! disse...

De fato, Mourinho faz "experiências" desnecessárias com o material humano de que dispõe. E outro caso que mt exemplifica o que tu escreveu é o de Elano, alçado a armador do Santos.

Saudações!!!

Claudio Henrique disse...

Pois é Luciano. Gostaria de entender também. Fizeram isso com o Mancini também. Aqui no Brasil era lateral, na Roma passou a ser ponta esquerda. Vai entender.

Abraços!

http://wwwfanaticosporfutebol.blogspot.com/

Giovani Mattiollo disse...

Realmente está umpouco confuso, mas que semifinal será essa em?

Abraço

http://gremista-sangueazul.blogspot.com

Gol de Mão disse...

Essas improvisações são sempre assim. O jogador para não perder lugar no time principal se adapta a tudo, mas nem sempre com a mesma qualidade. Marcelo perde muito quando sai da lateral.

Equipe Blog Gol de Mão
www.bloggoldemao.blogspot.com