"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

14 de jun de 2011

Relacionamentos, todos iguais


Futebol + dia dos namorados = oportunidade perfeita para a metáfora ideal, afinal, que outro sentimento combina mais com futebol do que o amor ?

[Perdão pelo pequeno atraso do post "temático" em relação ao dia real, mas, como vocês podem perceber no post anterior, acabei de voltar ao Brasil - a propósito obrigado pelo carinho de todos- e só agora tenho a oportunidade de voltar a atualizar o blog]

Preste atenção e você vai perceber que um relacionamento amoroso entre um homem e uma mulher é feito exatamente dos mesmos ingredientes que cercam a vida de um time de futebol; preste um pouco mais de atenção ainda e você encontrará muitos deles refletidos nos principais clubes do futebol brasileiro atualmente.


Todo relacionamento tem o período de "mar de rosas". Tudo é lindo, tudo está bom, tudo é perfeito. Algo parecido com o que hoje vive o líder do campeonato brasileiro, São Paulo. Quatro jogos, quatro vitórias, liderança isolada; o suficiente para se criar uma cortina de fumaça que embaça a realidade e só faz a alegria dos imediatistas. Já dizia meu pai: "futebol é resultado meu filho". É realmente impressionante como se criam verdades absolutas do dia para a noite no futebol.

E o que dizer das supresas ? Presentes - diria necessárias - em qualquer relacionamento, boas e ruins. Aquele parente chato ou aquela mania desagradável que você só descobre tempos depois, aquele presente ou jantar surpresa que você ganha em uma data especial ou aquela notícia inesperada, boa ou ruim, que vai virar seu relacionamento de ponta cabeça. O imponderável sempre impõe sua presença, e no futebol isso acontece com tanta frequência que talvez "imponderável" não seja mais a palavra certa a ser usada.

 
Cruzeiro e Internacional começaram o campeonato sem medir esforços para mudar de status; de "favoritos ao título" a "decepção do campeonato". E como se já não bastasse os times regredindo dentro de campo, as diretorias ameçam ir pelo mesmo caminho; de diretoria "diferenciada" para a "vala comum dos dirigentes brasileiros e sua absoluta falta de critérios e planejamento". Mas é a velha história: é mais fácil demitir um sujeito que não entra em campo do que os onze que entram e não fazem o que devem.

Falcão
 E como muitas vezes em um relacionamento um problema puxa o outro, ao se revelar um surpresa desagradável, o Internacional passa a viver uma crise de relacionamento com um dos maiores ídolos da sua história, Falcão, que equivocadamente sucumbiu a pressão externa e abriu mão da sua filosofia de trabalho para agradar os imediatistas - olha eles aqui de novo - que não sabem esperar por resultados a médio e longo prazo ainda que estes sejam imensamente superiores.

Evitar o comodismo, provar o seu valor e o valor que o seu parceiro tem para você a cada dia. Fundamental para um relacionamento saudável. Fundamental também no futebol, desde que na medida certa. O Palmeiras de hoje é um exemplo claro disso; terceiro colocado, mas fazendo uma força imensa. O time de Felipão literalmente mata um leão por rodada, supera desconfianças, mas o futebol não flui, e de tanto fazer força uma hora vai quebrar.

Abel Braga
Porém a pergunta - se há perguntas, há dúvidas. E que relacionamento não as tem ? - que não quer calar é: a espera de três meses - bizarra e inédita no futebol mundial(corrija-me se eu estiver errado) - do Fluminense por Abel Braga valerá a pena ? Quem viver verá.

De certo mesmo é que seja lá qual for o relacionamento, amoroso, profissional ou de amizade, erros e acertos fazem parte; ambos deixam lições valiosas e o mais importante é assimilá-las para empregar o aprendizado da melhor maneira possível em nossas vidas. Eu sei disso, você também, já os profissionais do nosso futebol, bom, ou não sabem, ou por algum motivo, fingem não saber.

2 comentários:

FuteB.R.O.N.C.A.! disse...

Excelente texto! Não por acaso, sabe-se que o futebol imita a vida.

Saudações!!!

Giovani Mattiollo disse...

É difícil, principalmente no Brasil tem essa conciliação no futebol, mas quem sabe...

Abraço

Favor atualizar o link de parceiro:
http://www.gremista-sangueazul.com/