"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

10 de ago de 2011

Aniversário de uma revolução

[Antes de entrar no assunto do post, peço perdão aos leitores pelo tempo de inatividade, por motivos de saúde e estudo não pude atualizar nas últimas semanas]

Confesso que não ia escrever, tanto que a data já passou,  mas cinco minutos de reflexão me fizeram perceber que olhando para trás em alguns anos me arrependeria muito por deixar tal data passar em branco.

Ontem, dia 09/08, foi aniversário de um mito do futebol brasileiro. Um ícone do futebol mundial. Um revolucionário. O criador do esquema tático mais usado no mundo: o 4-4-2.


Mário Jorge Lobo Zagallo, o homem mais vitorioso da história da seleção brasileira, conhecido por suas superstições e sua íntima relação com o número 13, que nos obrigou a engolí-lo por tantas e tantas vezes chegou aos 80 anos de idade demonstrando a mesma saúde dos tempos de jogador.

O primeiro jogador operário da história do futebol. O ponta esquerda que voltava para compor o meio campo, que idealizou o "contra ataque". Titular em todas as partidas das Copas de 58 e 62, por aí vê-se sua importância tática ao time, considerando que na época havia muitos pontas de mais habilidade ofensiva do que o velho lobo.


Contudo, o homem do número 13 tem sua carreira, tanto de jogador como de treinador ou coordenador, marcada também pelo número 4. Foram 4 camisas nos seus tempos dentro das quatro linhas (América, Flamengo, o mágico Botafogo de Garrincha e Didi e a seleção brasileira). São 4 títulos mundiais com a "amarelinha" e 4 Copas do Mundo perdidas.

É impossível olhar para o futebol atual e sequer tentar imaginar como o esporte seria sem a contribuição do velho lobo. A história de Zagallo e do futebol mundial se entrelaçam, estão intimamente ligadas, ambos são essenciais um ao outro. História marcada por conquistas, fracassos e claro, muitas frases de efeito...






Um profundo conhecedor do esporte bretão - conhecimento que aliás ainda hoje seria muito útil à perdida seleção brasileira - que claro nunca foi e nunca será unânimidade, mas como diria Nelson Rodrigues: "Toda unânimidade é burra".

Mário Jorge Lobo Zagallo é a representação do amor pela seleção brasileira. Seu sentimento pela amarelinha é genuíno, constante e imutável; seja qual for a seleção em questão: as mágicas de 70 e 82 ou a insossa de 90.

Fracassos e derrotas fazem parte da vida de todos nós, são nesses momentos que mais crescemos como ser humano, porém nosso grau de sentimento e comprometimento com as coisas de nossas vidas pessoais e profissionais podem sem dúvida minimizar tais acontecimentos. Tivéssemos todos nós - nós porque por muitos anos a torcida brasileira deu de ombros para a seleção - uma relação ao menos parecida com com a que o velho lobo tem com a camisa canarinho e sobre o brasão da CBF haveria hoje 10 e não 5 estrelas.


5 comentários:

Cleber Soares disse...

Luciano,
o velho lobo merece todo nosso respeito, seu texto é perfeito, ele mesmo deveria ler, tenho certeza que se emocionaria com sua homenagem.

BLOG DO CLEBER SOARES
www.clebersoares.blogspot.com

Gabriel Tramarin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
William disse...

Fala Luciano,
Cara, não considero o Sr. Zagallo tão revolucionário e tão bom assim. Aliás, nunca foi Campeão Brasileiro, nem Copa do Brasil, nem Libertadores. Possui 3 ou 4 títulos cariocas e alguns com a Seleção, onde realmente o nome dele pode ser considerado um pouco mais. Mas, falando sério, a seleção de 70 já estava montada, e ser campeão como auxiliar técnico do Parreira não é lá tanta glória assim, mas vamos agradecer pelo que ele fez na Seleção.
Foi quase rebaixado com o Flamengo e a Portuguesa...Isso não pode ser esquecido também....
Não sou apreciador do trabalho dele. Muita prepotência e soberba.
Mas vale essa sua homenagem à ele.
Grande abraço e ótima sexta feira.

Administrador disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
FuteB.R.O.N.C.A.! disse...

Vc tem toda razão, Mayeda, em tudo que colocou. Tive o prazer de conhecê-lo e trocar meia dúzia de palavras. Pena que mt gente torça o nariz e não consiga enxergar que além do (excelente) jogador que foi, Zagallo é um tremendo ser humano. Percalços fazem parte, atire a primeira pedra quem nunca passou por algum.

Saudações!!!