"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

19 de set de 2011

Jogos que eu vi - Premier / Calcio / Brasileirão

Blackburn 4x3 Arsenal

Definitivamente o Arsenal pagará o preço pela falta de planejamento em termos de elenco para a temporada 2011/12. Se desfez dos seus principais jogadores (Cesc Fàbregas e Samir Nasri) e além de não contratar a substitutos a altura, só foi as compras no último dia da janela de tranferências após ser humilhado pelo Manchester United na Premier League.

Marfinense Gervinho marcou o primeiro gol da partida
No último sábado os Gunners foram ao Ewood Park visitar o Blackburn e com um gol logo aos 8 minutos davam mostras de que colocariam fim a má fase. Com o toque de bola que lhe é característico, o time londrino, que chegou a ser chamado de "Barcelona da Inglaterra" na temporada passada, dominou as ações no primeiro tempo, mesmo jogando fora de casa, porém, foi para o intervalo com a vantagem mínima, mais uma vez por erros individuais de um sistema defensivo muito aquém do que se espera de um clube como o Arsenal.

Na segunda etapa o Blackburn parece ter se lembrado que jogava em seus domínios, passou a agredir mais os visitantes, que diante de uma marcação adiantada, passaram a encontrar muita dificuldade na saída de bola. A situação piorou para os Gunners quando o lateral direito Sagna, principal arma ofensiva do Arsenal jogando pela direita ao lado do marfinense Gervinho, saiu de campo machucado logo aos 4 minutos.

Arsene Wenger mandou à campo o zagueiro Djourou improvisado pelo lado direito, que não marcou tampouco apoiou o ataque. Estava dado o "caminho das pedras" para que os donos da casa tomassem conta do jogo.

O suíço Olsson, jogando nas costas de Djourou, infernizou a defesa dos Gunners que de tão perdida jogou duas vezes contra o próprio patrimônio (Song e Koscielny).


No fim da partida o marroquino Chamakh ainda descontou para o Arsenal, mas já era tarde. Nova derrota e novamente levando muitos gols.

Conceitos, ainda que outrora tenham sido eficazes e vencedores como no fantástico time de 2004/05, que embora jovem contava com jogadores experientes, campeão invicto da Premier League, podem e devem ser revistos. A política do Arsenal de apostar em jovens talentos há tempos deixou de funcionar da maneira esperada.

Arsene Wenger treinador do Arsenal desde 1996

O futebol é um esporte muito dinâmico, e a menos que Arsene Wenger assuma a mesma postura, veremos uma era de quase vinte anos chegar ao fim no Emirates Stadium.

Inter de Milão 0x0 Roma

Duas das mais tradicionais camisas do futebol europeu, jogadores do nível de Sneijder, Forlán, Lúcio, Totti, De Rossi... em campo. Garantia de grande jogo, certo ? Há controvérsias !

Passei o dia tentando me lembrar de uma partida tão ruim técnicamente que tivesse visto nos últimos tempos... #continuopensando

 
O time de Milão, que, inexplicavelmente, "nunca mais foi o mesmo" depois da saída de Mourinho. - aspas porque o elenco é praticamente o mesmo que o português levou à tríplice coroa em 2009/10. Parecia um bando de estranhos jogando uma pelada. Um abismo entre meio campo e ataque, jogadores fora de posição correndo atrás da bola sem marcação ou produção ofensiva.

Do outro lado, o treinador Luis Henrique, que veio das categorias de base do Barcelona no intuito de implantar a mesma filosofia de futebol do clube catalão no clube da capital italiana, mostrou que seu trabalho demanda tempo, muito tempo.

A "boa notícia" é que entre os clubes que brigam pelo título do campeonato brasileiro, qualquer um teria condições de faturar a Calcio 2011/12.

Avaí 1x1 Palmeiras

 
A criatividade passou longe da Ressacada. Em uma partida da qual já não se esperava muito, as expulsões prejudicaram ainda mais o espetáculo, se é que ele era possível.

Um gol logo no início jogando em casa, tudo que um time que briga para fugir do rebaixamento precisa quando recebe um time extremamente competitivo e difícil de ser batido como o Palmeiras de Luiz Felipe Scolari. Se o cenário já era favorável com a vantagem no marcador, acrescenta-se à isso vantagem numérica de jogadores em campo, que chegou a ser de dois, e a vitória é certa e irrevogável. Seria, se o esporte em questão não fosse futebol.


O Palmeiras é o retrato de seu treinador. Não me lembro na história recente do futebol brasileiro um exemplo de clube e treinador com relacionamento e características tão intrínsecas. Um time consciente de suas limitações, mas que não se entrega e extremamente disciplinado táticamente, disciplina e consciência que hoje são as principais responsáveis pelo ponto conquistado em Florianópolis.

Aos torcedores do Palmeiras fica o realismo de que o clube briga por, no máximo, Libertadores, aos avaianos fica a preocupação de um time que não consegue vencer dentro de casa com dois jogadores a mais.

Corinthians 1x3 Santos


Acabou a "sorte". O Corinthians tropeçou, e seus concorrentes agradecem. E como não poderia deixar de ser, a derrota corintiana diante do Santos já assumiu proporções titânicas, e a torcida que comanda o clube, com aval da diretoria, já faz suas ameças veladas em forma de exigências.

A partida foi igual, pelo período de tempo que os times se portaram como iguais, a partir do momento em que o Santos passou a impor o que falta ao Corinthians, o talento de um craque, a história fez-se da maneira que se esperava.


Proferir elogios à Neymar é chover no molhado, todos já conhecem seu talento e sua capacidade dentro de campo, o que todos não sabiam é se o Santos de Neymar ainda seria capaz de buscar o título brasileiro. Depois de derrubar o líder por 3x1 fora de casa com um jogador a menos, você duvida ? Lembre-se que o Santos tem duas partidas a menos.

Para o time da Vila o jogo acabou com o apito do juiz, para o Corinthians esse jogo continua, mas o adversário agora é outro, os pseudo-torcedores donos da verdade que mandam e desmandam em uma instituição onde o poder é definitivamente descentralizado.

Um comentário:

Giovani Mattiollo disse...

Foi bom esse fim de semana em Luciano, hehe... Que fase essa do Arsenal... No Brasil, Corinthians em ladeira abaixo

Abraço

||| { SANGUE AZUL } |||
------------------------------------
---> Libertadores ainda é o desejo do Grêmio
---> Em 2006, Grêmio goleou o Botafogo por 4 a 0
---> Bolão das Notas 2ª Edição: Avalie os históricos artilheiros dos times europeus