"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

2 de set de 2011

"Para que serve o futebol"

A frase que intitula o post não é minha - por essa razão as aspas - e sim de um gênio da literatura brasileira: Luis Fernando Verissimo, e assim como em sua crônica, serve de síntese perfeita para a mensagem que segue.

A crônica de Luis Fernando Verissimo conta a história do MH (Marciano Hipotético) que vem ao Brasil e fica estarrecido ao descobrir que por aqui, o futebol é um mau negócio.


"Mas como, perguntou, agitando as antenas. Uma população deste tamanho, todo mundo louco por ele, nenhum outro esporte de massa disputando mercado com ele, um clima que permite sua prática o ano inteiro, e ele só dá lucro para a CBF ? Não consegue sustentar nem uma indústria de revistas especializadas como na Espanha ou Argentina ? Os clubes estão falidos, e os seus melhores jogadores são exportados ?"


Diante da indignação de MH, Luis Fernando prefere mudar de assunto, comenta então sobre os problemas rurais e a falta de terras para assentar agricultores.

Sem acreditar no que acabara de escutar, MH sobe em sua nave e cortando as nuvens mais rápido do que os olhos humanos podem acompanhar, desaparece sem deixar rastros.

Tempos depois volta trazendo, se não uma solução, uma tese: "Para ele o problema básico do Brasil é o mesmo da agricultura quando uma safra excede a capacidade de escoamento. No nosso caso, uma super abundância de talento não encontra uma estrutura para absorvê-la. Num país enorme, o talento produzido (seja qual for a área, esportiva, artes cênicas, etc.) não encontra colocação e simplesmente transborda."

Em suma: "Ele (futebol) existe para representar o grande desperdício nacional, o grande paradoxo de um país que não se aproveita. A função do futebol, no Brasil, é ser metáfora."

Confesso que sempre considerei essa tese sensacional, e embora a realidade esteja mudando, com o movimento por parte dos clubes para repatriamento e a manutenção de grandes craques, ainda é cedo para derrubarmos a mesma.

Porém, é apenas uma tese sobre para o que realmente serve o futebol, tomá-a por verdade absoluta quem assim desejar, cria-se uma nova tese quem com ela não concordar.

Não vou me atrever a dizer que criei uma tese sobre a função do futebol na sociedade, mas em uma semana em que levamos mais um "soco no estômago" de quem deveríamos receber todo tipo de deferência e estima, o governo, diria que o futebol nos serve como válvula de escape. Uma paixão infantil, a quem nos dedicamos com afinco e que por 90 minutos é capaz de nos fazer esquecer todos os desprazeres da vida.

90 minutos onde tudo que importa é a bola que entrou, ou não, a defesa salvadora, ou não, no último minuto, a demonstração de raça e amor por parte de milhares de pessoas que nem se conhecem, mas tem em comum uma parte muito importante de suas vidas.


Essa é a realidade em que vivemos: Enquanto alguns distorcem e elitizam suas funções, em detrimento da maioria, outros, no caso específico futebol, as multiplicam, por vezes nos mostrando a realidade, como na tese do MH, e outras tantas vezes, para o nosso bem, nos fazendo esquecê-la.

2 comentários:

Giovani Mattiollo disse...

Parabéns pelo texto Luciano. Realmente são 90 minutos em que nada mais importa, somente aquele momento, se é gol ou não... O futebol desperta a emoção nas pessoas

Abraço

http://www.gremista-sangueazul.com

FuteB.R.O.N.C.A.! disse...

Magnífico! Excelentes colocações e citações. Veríssimo é covardia...rsrs, seja no futebol ou fora dele.

Saudações!!!