"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

10 de fev de 2012

Notícias novas [e velhas] que não fazem sentido

A correria do dia a dia - trabalho e estudo - tem me impedido de atualizar o blog com a frequência costumeira, porém, não tem me impedido de notar a incoerência que tomou conta do futebol nesse início de temporada.

Time em que o principal jogador e capitão da equipe - que teoricamente deveria dar o exemplo - faz o que bem entende, exerce a indisciplina a olhos vistos e rende muito abaixo do esperado dentro de campo, vence uma guerra declarada com o treinador, que reclamou do seu comportamento - aparentemente sem razão [?!] - e o derruba do cargo.
[Ah sim, Ronaldinho estava com salários atrasados, logo sua indisciplina é compreensível, afinal, deve estar quase sem ter o que comer]


Longe de mim querer bancar o advogado do diabo e defender Vanderlei Luxemburgo - que há muito esqueceu da sua função de treinador e passou a se comportar como um empresário - mas ao meu ver a decisão de demitir o treinador foi pura e simplesmente uma escolha por valores - que já foram gastos e que poderiam vir a ser. Apesar de achar que havia muitas outras questões extra oficiais entre comissão técnica e diretoria e de considerar o marketing rubro-negro o pior do país; ou você já viu alguma grande ação explorando a imagem do camisa 10 tal como tantos outros clubes fazem com seus craques multiplicando suas rendas?

Porém, contudo, entretanto, redundantemente deixemos o extra campo de fora. Dentro dele há coisas estranhas acontecendo.


Felipão continua tirando leite de pedra - normal. Pediu camarão, recebeu sardinha enlatada e venceu os filés de salmon de maneira apoteótica - se não entendeu a piada deixe seu email nos comentários que retornarei a explicação. Está definitivamente onde Luxemburgo não mais está: entre os principais treinadores do país.

Arsene Wenger - Está no comando dos Gunners desde 1996

E a estranheza continua. O Paulista de Jundiaí está sobrando em um campeonato onde o Palmeiras é líder, temporário, mas líder. Dedé fez um gol contra - isso é realmente inacreditável - e Cristóvão Borges passou de "super revelação" de treinador para "burro" em noventa minutos. O campeão brasileiro esqueceu o futebol em 2011, joga mal e goleia de 1x0. Mas isso não é estranho, é filme repetido. Na terra da rainha, em pleno Old Trafford o Manchester United cai de 6x1 para o rival Manchester City - avisei no título que haviam notícias velhas - enquanto Arsene Wenger corre sério risco de ser demitido do comando do Arsenal depois de mais de 20 anos.

 
Teoria no futebol não se aplica - isso não é novidade. Aliás, o futebol não fazer sentido tampouco é novidade. Novidade mesmo será o dia em que a incoerência der lugar a sua antagonista, coerência, num mundo onde nada tem uma definição permanente.