"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

4 de mar de 2012

O errado que dará[?] certo

Está todo mundo errado. A verdade é que o envento nasceu de forma errada e, inevitavelmente, dará "errado". Ou melhor, dará certo, mas pelos meios e razões erradas. "O errado que deu certo", um bom jargão para a Copa de 2014.



As manchetes do dia dizem que a declaração do ministro Aldo Rebelo em resposta a Jérôme Valcke expuseram o racha entre o relacionamento do governo brasileiro com a entidade máxima do futebol e uma crise que até então estava sendo controlada nos bastidores. Piada.


Aldo Rebelo, Ministro do Esporte e Jérôme Valcke secretário da FIFA para assuntos relacionados à Copa do Mundo

Qualquer um que acompanhe um pouco mais de perto sabe que a boa relação do governo anterior com a FIFA era fachada. A FIFA dizia o que bem entendia, mandava e desmandava, bradava, ordenava e os então presidente e ministro do esporte, Lula e Orlando Silva simplesmente acatavam.

Fato é que o Brasil assinou o documento intitulado "Garantias Governamentais" em 2007, quando conquistou o direito de sediar a Copa e agora se recusa a cumprir os 11 tópicos firmados na ocasião. A FIFA por sua vez, representada por Jérôme Valcke, insatisfeita com a demora em relação as obras e a aprovação da Lei Geral da Copa, demonstra total desrespeito com declarações esdrúxulas, para dizer o mínimo.


Entender o problema é simples: A Copa do Mundo voltou ao Brasil por inúmeras razões que em nada tem a ver com esporte. Interesses de meia dúzia de aliados que simplesmente fizeram do futebol brasileiro seu "brinquedo" e uma marionete para atingir objetivos de interesses pessoais ou profissionais. Cada qual no seu "quadrado", todos foram beneficiados. Porém, como um tripé que não se sustenta ao perder uma de suas bases, as coisas começaram a demoronar para essa "quadrilha" quando o prazo de validade da principal perna do tripé expirou, em 01/01/2012.

Ricardo Teixeira e o ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva
 
Dilma Roussef assumiu o a presidência como uma espécie de  "Capitão Nascimento", limpando -perdoem-me o termo chulo- a m.... feita por gestões anteriores. E depois de mais de 20 anos sobre o comando de Ricardo Teixeira, m.... é o que não falta no futebol brasileiro.