"Além dos sinais externos que denunciam - cabelos brancos, cabelo nenhum, rugas, barriga, essas indignidades - as gerações se reconhecem pelos jogadores de futebol que se têm na memória"

Luis Fernando Veríssimo

30 de out de 2012

"E agora, JOSÉ?"

Todo mundo tem razão. Ninguém tem razão. Todo mundo discute. Alguns julgam. O assunto alimenta a imprensa por alguns dias. E vira argumento na memória de comentaristas e torcedores. Roteiro para "polêmica" quando o assunto é futebol.

"Pau que dá em Chico não bate em Francisco", já dizia o poeta[?]. Todos conhecem o estado caótico em que vive a arbitragem do futebol brasileiro. São 47 pesos e 68 medidas pra 20 times. - TOTAL - falta de critério e despreparo regem o comportamento daqueles que detém a palavra de ordem dentro de campo. Esperar o mínimo de qualidade e bom senso é pura utopia - ingênuidade ou burrice.

Não há investimento, não há qualidade. Simples. Investimento não apenas financeiro, mas profissional, esforço na intenção de melhorar a qualidade do "existente", e não para encontrar alternativas paleativas para ajudar a incompetência com mais incompetência.

Um profissional com o mínimo de preparo teria evitado a sinuca de bico em que se encontra o STJD agora. Validar o gol de Barcos significa validar o irregular. Anular com base em interferência externa significa abrir milhares de precedentes para todas as outras partidas do campeonato e colocar a credibilidade da competição em cheque. Anular a partida, idem.

Como diria Carlos Drummond de Andrade: "E agora, José?"
JOSÉ Maria Marin - Presidente da Confederação Brasileira de Futebol

3 comentários:

Cleber Soares disse...

Meu amigo Luciano,

esse lance serviu, pelo menos na minha visão, para duas coisas:

1- provar de vez que nossa arbitragem é despreparada, ruim mesmo, e não tendenciosa como querem os conspiradores de plantão,

2-levantar de vez a questão se devemos ou não usar o recurso eletrônico, mesmo que seja apenas em lances absurdos como esse,

Escrevi lá no blog que esse fato transcende a questão da ética e da legalidade, qualquer que for o lado escolhido, vamos estar cometendo um erro, ou legal, ou moral.

Mas não acredito que o Palmeiras consiga anular o jogo ou coisa do tipo, no máximo é só mesmo a polêmica que vai ficar para os anais do nosso futebol,

SOMOS FLAMENGO
somos flamengo33.blogspot.com

BLOG DO CLEBER SOARES
clebersoares.blogspot.com

FuteB.R.O.N.C.A.! disse...

Agora que periga o BR2012 terminar em 2013, se terminar. Está aberto o precedente, tanto para os jogos jogados quanto para os jogos a jogar. Não haverá dúvida em se levar ao tribunal qualquer situação que defina rebaixamento ou outro tipo de vaga se esta diferença for de 3 pontos entre os times em questão.

O STJD, como eu disse lá no blog, perdeu o cabaço! Antes da Catarina!

Saudações!!!

Patryck - Admin. disse...

A arbitragem brasileira está roubando a cena negativamente e infelizmente se tornando a principal protagonista do Brasileirão 2012 com muitos erros, sendo que eles poderão se tornar fatais.




Comente aqui:
http://fcgols.blogspot.com.br/2012/10/coluna-do-patryck-eliminatorias-para.html